Sérgio chegou em Nova York sem falar hi nem bye. Hoje faz sucesso com hambúrguer exclusivo

Autor: Fillipe Fernandes - Estagiário de Jornalismo

Sérgio Navarro Spolador foi o convidado de uma live organizada pelo curso de Marketing da Uninter no último dia 15.mai.2020. Conduzida pelo professor Achiles Junior, a conversa foi transmitida pelo YouTube no canal dos cursos de Marketing e Marketing Digital.

O tema foi Sucesso nos Negócios. Sérgio é dono de dois restaurantes na costa leste dos EUA, o Sergio’s Restaurant and Burger, ele contou sobre sua trajetória na terra do Tio Sam e os desafios que enfrentou em mais de quinze anos de presença nos Estados Unidos.

A conversa iniciou com os primeiros passos de Sérgio em solo estadunidense. No final do ano de 2002, sua família foi recebida em Nova York por uma amiga que lá morava. Chegou em pleno inverno, quando é mais difícil arrumar trabalho. No começo, Sérgio entregava jornal nas madrugadas frias. “Foi muita luta pra gente começar a entender como funcionava o mecanismo da América. Comecei a trabalhar como cozinheiro, chapeiro em restaurantes, lanchonetes”, relembra Sérgio.

O idioma também foi uma complicação inicial. “Não falava nem hi, nem bye. Eu tinha estudado inglês na escola, mas quando você chega em um país diferente, você não entende uma palavra do que eles falam. Aí um amigo me incentivou a aprender. Quando chegava nos lugares e tinha que pedir as coisas ele me empurrava. Aí você aprende uma palavra, depois outra. Começa a prestar atenção nas músicas, ouvir a TV americana. Estou aqui há 17 anos e não posso dizer que sou fluente em inglês porque trabalhei e convivi mais com a comunidade brasileira e hispânica. Em espanhol eu sou fluente”, explica.

O Sérgio’s Restaurant and Burger serve comida mineira, que Sérgio aprendeu a fazer durante sua estadia nos EUA, e um hambúrguer cujo blend é exclusivo. Tem duas filiais, uma em Long Branch, no estado de Nova Jersey, e outra na cidade de Filadélfia, na Pensilvânia. As comunidades brasileira e hispânica formam a maioria dos clientes.

O começo do empreendimento foi depois de um acidente que impossibilitou Sérgio de trabalhar por quase dois anos. “A ideia do Sergio’s começou em 2015, quando eu quebrei a perna. Apesar de ter trabalhado em outros restaurantes, não idealizava ter um negócio próprio. Aí, por ideia da minha esposa, comecei a fazer comida em casa. Usamos as mídias sociais para divulgar. Se não fosse o Facebook e o WhatsApp, o Sergio’s não existiria. Começamos com 20 marmitas entregues por dia e chegamos num topo de 160 marmitas”.

O sucesso foi tanto que Sérgio não podia mais manter o negócio funcionando em casa. Era preciso um espaço maior para receber os clientes, que faziam fila nas ruas do pacato bairro em que morava. “As coisas mudaram quando eu resolvi criar um hambúrguer, fiz o blend e comecei a assá-los na minha churrasqueira do lado de fora de casa. Então, de segunda a quinta eu vendia marmitas, nas sextas o hambúrguer e aos finais de semana eu não trabalhava. Os vizinhos começaram a reclamar com o meu inquilino, porque a rua em que eu morava era tranquila e era comum filas de carros fazendo pedidos. Então, encontrei um restaurante mexicano que estava disponível para comprar. Adaptei, fiz umas reformas e em 2018 inaugurei”, conta.

O professor Achiles intercalava as suas perguntas com as dos estudantes que participavam via chat. Uma delas foi sobre o marketing do restaurante. Sérgio explicou que no começo era ele e a esposa que cuidavam disso, mas agora tem uma equipe responsável. “Hoje temos um assessor de marketing que fala a mesma língua que a gente. Sempre digo que isso é o mais importante. Conseguimos debater, trocamos ideias, buscamos sempre o meio-termo. Nem eu, nem ele, estamos sempre com a razão”.

O restaurante, cujo slogan é “Happiness on Every Flavor” (felicidade em cada sabor, em livre tradução) teve que frear sua expansão devido à pandemia de Covid-19. O plano era aumentar a loja de Long Branch e no ano que vem abrir uma nova loja em Orlando, Flórida. Agora, não estão mais recebendo clientes para comer no restaurante e apenas atendem por delivery e take out (quando o cliente vai retirar seu pedido) “Como já tínhamos um trabalho forte nas redes sociais com entregas, conseguimos nos adaptar mais fácil. A loja da Philadelphia, hoje, está quase com o mesmo nível de vendas de antes da pandemia”, explica.

O motivo do sucesso do empreendimento, segundo Sérgio, segue quatro pilares: sabor, qualidade, quantidade e preço. “Da mesma maneira que comecei na minha casa eu mantenho até hoje. A minha marmita chega a pesar quase 2 quilos. Esse é o grande diferencial. Eu falo que o pessoal janta e leva para o trabalho no dia seguinte”, finaliza.

Você pode conferir a íntegra do bate-papo apresentado pelo professor Achiles Junior no canal de Marketing da Uninter no Youtube, e ainda saber mais sobre o processo de legalização do negócio e os desafios da vida de um imigrante nos Estados Unidos.

Embed HTML not available.
Autor: Fillipe Fernandes - Estagiário de Jornalismo
Edição: Mauri König
Revisão Textual: Jeferson Ferro
Créditos do Fotógrafo: Reprodução


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *