UOL destaca primeira turma de detetives particulares a se formar no Brasil

O portal de notícias UOL dedicou um bom espaço na sua cobertura jornalística no início deste mês para destacar a história da paulistana Jacqueline Morais, de 48 anos, que no fim do ano será uma das estudantes a se formar no curso superior de Investigação Profissional. Inédito no país com habilitação para detetive particular, o curso tem autorização do Ministério da Educação e é ofertado pela Uninter na modalidade de educação a distância.

A reportagem do UOL destaca que Jacqueline é detetive particular há 24 anos, seguindo os passos do pai, que foi dono de uma das primeiras agências de investigação de São Paulo. “Acredito que os profissionais devem estar sempre se aprimorando, e essa graduação tem um currículo abrangente, com o que há de mais atual”, disse ao portal de notícias. Leia aqui a matéria completa do UOL.

Sobre o curso

De acordo com a classificação brasileira de ocupações do Ministério do Trabalho e Emprego é necessário que quem tenha interesse de atuar na área de investigação particular tenha uma formação de 200 a 400 horas, no mínimo. No entanto, esse curso supre a necessidade legal e vai além, com uma carga horária de 1.824 horas ao longo de dois anos da graduação.

O curso tecnólogo é oferecido na modalidade de ensino a distância (EAD) e possui a estrutura curricular organizada nas áreas de Investigação e Inteligência, Polícia Científica: Prova e Local do Crime, Segurança e Proteção, Criminologia e Tecnologia Aplicada à Investigação. Na formação, que tem nível superior, serão desenvolvidas competências essenciais para atuação como profissional de excelência com habilitação para detetive particular.

O graduado poderá atuar em empresas de segurança, em organizações de investigação particular, ou como autônomo, auxiliando com ferramentas e conhecimento da área de inteligência para sanar dificuldades e investigar casos de interesse privado daquele que o contrata. Poderá participar também de concursos públicos que exijam formação nas áreas dos diversos órgãos da Polícia Militar, Civil e Federal.

Na metade do curso, os alunos recebem um kit de investigação, uma maleta que contém caneta, chaveiro e relógio-espião que gravam áudio e vídeo, além de outros recursos necessários para uma investigação.

Embed HTML not available.
Edição: Mauri König
Créditos do Fotógrafo: Pixabay


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *