Uninter forma primeiro surdo em Direito, com homenagem ao serviço de inclusão

Autor: Ariadne Körber - Estagiária de Jornalismo

A formatura é o momento de convergência de todo esforço e determinação que colocamos durante os anos de graduação para a concretização de um sonho. Além disso, é a oportunidade de reconhecer e homenagear aqueles que estiveram ao nosso lado e nos ajudaram nesse período.

Toda formatura tem o momento das homenagens aos pais, a Deus, aos professores, aos amigos e aos que não estão mais entre nós. A formatura institucional da Uninter, que ocorreu no dia 07.03.2020 na Ópera de Arame, em Curitiba (PR), não foi diferente, mas contou com uma novidade na hora das homenagens.

Tiago Alves Carneiro Júnior, aluno de Direito, fez a cerimônia da colação ter um tom especial. Ele decidiu homenagear um departamento que o ajudou ao longo de todo o curso, o Sianee (Serviço de Inclusão e Atendimento aos Alunos com Necessidades Educacionais Especiais).

Tiago é surdo e já havia começado outras duas graduações. Primeiro tentou engenharia da computação em outra instituição, mas não teve o suporte necessário para se formar, como ele próprio comenta. Depois tentou Marketing na Uninter, mas não gostou do curso e percebeu que realmente gostaria de fazer Direito.

Com o sonho realizado, Tiago entrou em contato com a equipe de Lorena Langowski dos Santos, coordenadora de eventos da Uninter, para conseguir um espaço na programação da colação e fazer seu discurso em libras, e mais uma vez contou com a parceria de Erelisa de Souza Vieira Bazan, a intérprete que o acompanhou durante sua formação, que leu o texto em voz alta.

A homenagem prestada por Tiago foi o primeiro discurso dedicado ao Sianee numa formatura, e ele foi o primeiro aluno surdo a se formar no curso de Direito da Uninter. Segundo a professora Leomar Marchesini Zuravski, coordenadora do departamento, advogados surdos são bastante raros devido à falta de vocabulário jurídico em libras. Ela diz ainda que a equipe do Sianee foi pega de surpresa com a homenagem. “Fomos tomados de surpresa, todos os professores estavam chorando”.

Sendo o primeiro surdo do seu curso a se formar, Tiago superou algumas dificuldades de adaptação ao longo do processo, o que facilitará o caminho para os que virão depois dele. Nesse sentido, a parceria com o Sianee foi fundamental.

“Não posso deixar de homenagear aqueles que me deram a oportunidade de realizar os meus sonhos e os sonhos de tantos outros, que muitas vezes pensaram que não conseguiriam, mas que graças ao Sianee estão estudando, buscando um desenvolvimento intelectual e profissional apesar de suas dificuldades”, relembra.

Para Erelisa, foi importante assistir à formatura e ao discurso. Ela entende que a universidade deve não só formar a pessoa nas questões técnicas, mas de modo integral. “Ao ver ele [Tiago] se formando e demonstrando esse nível de gratidão, vejo que a instituição alcançou mais do que pretendia com o ensino”, comenta a intérprete. Ela também destaca a admiração pelo empenho do aluno, que foi algo especial que a tocou nos cinco anos da graduação em que estiveram juntos.

Feliz e realizado com o diploma de bacharel em Direito, Tiago reconhece a importância de ter uma intérprete que também é formada no curso, caso de Erelisa, além do papel que os professores do curso desempenharam. “Ela [Erelisa] me ajudou muito, e todo o Sianee, os professores que aceitaram esse desafio, eles nos veem, eles nos respeitam, acreditam em nosso potencial”, finaliza.

Embed HTML not available.
Autor: Ariadne Körber - Estagiária de Jornalismo
Edição: Mauri König
Revisão Textual: Jeferson Ferro
Créditos do Fotógrafo: Arquivo Depto. Eventos Uninter


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *