Uninter forma 128 mestres em Direito e Educação em apenas 5 anos

Autor: Juce Lopes - Estagiária de Jornalismo

Os dois cursos de pós-graduação stricto sensu da Uninter são relativamente recentes, mas já formaram 128 mestres só nos últimos cinco anos. A procura tem aumentado ano após ano, acirrando a disputa por uma vaga, o que atesta o reconhecimento dos alunos quanto aos esforços da instituição com a qualidade do ensino. Para se ter uma ideia, em 2017, ano mais concorrido, média foi de 13 candidatos para uma vaga.

No Mestrado Acadêmico em Direito, 80 alunos passaram pelo curso desde a primeira turma, dos quais, 37 já se tornaram mestres. Para a formação da última turma, aberta neste ano, 155 candidatos se inscreveram na disputa por 20 vagas, o que dá uma média de 8 candidatos por vaga. Atualmente, 41 mestrandos estão matriculados em duas linhas de pesquisas e são orientados por 12 docentes-pesquisadores permanentes.

Já o curso de Mestrado Profissional em Educação e Novas Tecnologias teve até hoje 1.290 inscritos. Numa disputa de 8 candidatos por vaga, em média, 167 garantiram a sua seleção e 91 já defenderam suas dissertações, obtendo assim, a titulação de mestre. Hoje, 76 mestrandos estão matriculados nos vários grupos de pesquisa oferecidos pelo curso e são orientados por 14 professores.

Mestrado em Direito

O Mestrado Acadêmico em Direito da Uninter foi aprovado pela Capes em 2015 e teve sua primeira turma em 2016. Seu objetivo é a formação de recursos humanos com alta capacitação no desenvolvimento de estudos avançados na área de Direito no Brasil, além da capacitação também para a docência, contribuindo assim para o ensino jurídico.

Sua área de concentração é “Poder, Estado e Jurisdição”. Para o coordenador do mestrado, professor-doutor Daniel Ferreira, os três termos que compõe o título da área de concentração são conceitos que se intersectam e se articulam, apesar de terem caráter aberto e abrangente nos planos teóricos e históricos.

“Entre eles existe uma relação orgânica, em que a investigação do Poder é mais ampla, mas contém as investigações do Estado, que por sua vez também são mais amplas, mas contêm as investigações sobre a Jurisdição. Portanto, a carga semântica contida na área – Poder, Estado e Jurisdição – em sua rica amplitude teorética, é dotada também de uma organicidade”, explica.

Os encontros com os mestrandos ocorrem quinzenalmente, de maneira que possa atender aos interesses de todos os alunos, uma vez que 10% deles não residem em Curitiba, onde o mestrado é ofertado.

Linhas de pesquisa

  • Teoria e história da jurisdição: busca desdobrar o leque temático contido na área de concentração, de maneira mais teórica. Aborda os temas de concentração por dois vieses, um sob o olhar da filosofia política, da teoria política e da Teoria do Estado e outro sob um viés histórico-jurídico.
  • Jurisdição e processo na contemporaneidade: busca aproximar as investigações do arco Poder, Estado e Jurisdição por um viés mais “dogmático”. Sob uma perspectiva teórica e multidisciplinar, a Jurisdição é confrontada com os contextos contemporâneos de sua aplicação, levando em conta a complexidade dos temas no momento histórico atual.

Mestrado em Educação

O Mestrado Profissional em Educação e Novas Tecnologias foi aprovado pela Capes em 2014, mesmo ano em que abriu sua primeira turma. Hoje o curso está sob a coordenação da professora Siderly do Carmo Dahle de Almeida e dispõe de vários grupos de pesquisas, mantendo o olhar na educação básica e o foco voltado para as tecnologias aplicadas na educação e na formação de professores para o uso destas tecnologias.

O objetivo do programa é formar e qualificar profissionais para a docência na educação básica e no ensino superior, comprometidos com as transformações da sociedade, produzindo novos conhecimentos relativos à formação docente e às novas tecnologias.

Grupos de pesquisa

  • Novas tecnologias de ensino e aprendizagem – Projetos de pesquisas: Simuladores computacionais e robótica educacional; Formação do docente no contexto da sua prática: integração significativa das tecnologias; Meta-avaliação de processo normativo e instrumental de avaliação; Educação híbrida: metodologias e objetos de aprendizagem digitais em ambientes de mobilidade tecnológica.
  • Educação a distância – Projetos de pesquisas: Educação a distância no ensino superior no brasil: metodologias e tecnologias; Docência e aprendizagem para a educação híbrida e a distância.
  • Educação, tecnologia e sociedade – Projetos de pesquisas: Formação de professores e inovações metodológicas e tecnológicas no cotidiano escola; Formação integral, mediação e tecnologia no cotidiano escolar; Processos de formação de professores: relações com o desenvolvimento profissional docente; Educomunicação: cinema e outras linguagens audiovisuais na educação.
  • Ciência, tecnologia e interculturalidade na educação – Projetos de pesquisas: Ciência, Tecnologia e Interculturalidade na Educação; Educação e direitos humanos; Currículo e formação de professores para ciência, tecnologia e interculturalidade; Aspectos Teóricos-Metodológicos em Educação Científica e Tecnológica na Perspectiva CTS; Observatório CTSA.

Mestrado acadêmico ou profissional?

Muitos alunos que buscam continuar seus estudos por meio de uma pós-graduação se deparam com essas duas opções de mestrado. Mas será que existem muitas diferenças entre um e outro?

Ambos os mestrados têm duração média de dois anos e estão na modalidade stricto sensu, ou seja, fazem parte do grupo que engloba mestrados e doutorados e são regulamentados pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

O candidato a esses cursos deverá desenvolver pesquisa, em um determinado tema de seu interesse, de maneira aprofundada e estimular reflexões teóricas. De acordo com a Capes, as instituições que recebem autorização para oferecer esses cursos devem atender várias exigências, como por exemplo:

  1. Equipe de docentes permanentes qualificada, que assegure a regularidade e qualidade das atividades de ensino, pesquisa e orientação.
  2. Planejamento estratégico da pós-graduação na instituição; adequação e justificativa da proposta ao desenvolvimento regional ou nacional e sua importância socioeconômica.
  3. Comprovação de que o grupo possui competência e qualificação acadêmica, didática, técnica e/ou científica vinculadas ao objetivo da proposta.
  4. Clareza e consistência da proposta e dos critérios adotados para seleção de alunos.
  5. Espaço físico adequado, com equipamentos de informática, biblioteca e toda infraestrutura para o desenvolvimento de ensino e pesquisa das atividades previstas.

Além de aprovar a abertura dos cursos de mestrado acadêmicos e profissionais, a Capes também se encarrega de fazer avaliações anuais e trienais desses cursos, para garantir a qualidade e excelência da pós-graduação no Brasil. Essas avaliações são feitas por comissões compostas por docentes-doutores, profissionais e técnicos reconhecidamente qualificados.

O mestrado é importante tanto para a carreira acadêmica quanto para o mercado de trabalho. Assim, a escolha entre os dois tipos disponíveis deverá estar de acordo com o perfil profissional que o candidato deseja seguir.

Mestrado profissional

O mestrado profissional visa o desenvolvimento de técnicas e estudos para atender demandas do mercado de trabalho nas mais diversas áreas do conhecimento, buscando o alto nível de qualificação e capacitação profissional do candidato.

Regulamentado pela Capes desde 2009, o mestrado profissional se destaca por utilizar conhecimentos atualizados para serem aplicados em uma área de atuação profissional específica. Para tanto, é importante que haja em seu quadro docente profissionais reconhecidos por sua qualificação e atuação no mercado trabalho.

O objetivo do curso é contribuir com o setor produtivo, agregando maior competitividade a empresas e organizações, sejam elas públicas ou privadas. Por isso, o trabalho de conclusão deverá estar vinculado a problemas reais da área de atuação do curso.

Mestrado Acadêmico

O mestrado acadêmico está voltado para aquele que deseja desenvolver pesquisas e/ou ingressar na vida docente. Os cursos de mestrado acadêmico, assim como o profissional, exigem proficiência em outro idioma além da língua materna, sendo os mais usuais o inglês, espanhol, francês e italiano.

A Capes, nos anos 1950, regulamentou pela primeira vez os cursos de mestrado acadêmico no Brasil. Devido ao seu longo tempo de existência, é considerado o mais tradicional.

Vale lembrar que ambos os mestrados possuem idênticos grau de titulação e prerrogativas, inclusive para aqueles que pretendem ingressar no exercício da docência, e o diploma tem o reconhecimento e validade em todo o território nacional.

Embed HTML not available.
Autor: Juce Lopes - Estagiária de Jornalismo
Edição: Mauri König
Créditos do Fotógrafo: Juce Lopes - Estagiária de Jornalismo


8 thoughts on “Uninter forma 128 mestres em Direito e Educação em apenas 5 anos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *