ENSINO SUPERIOR

Um método adaptado para o estudante “vestir” as ferramentas de aprendizado

Autor: Valéria Alves - Estagiária de Jornalismo

Para pensar a educação nos dias atuais, é impossível deixar de lado os avanços tecnológicos que impactam nossas vidas, em todos os setores. A inteligência artificial se torna cada dia mais presente em nossas interações no  mundo virtual, e ainda há muita discussão sobre os efeitos positivos e negativos desta presença. Mas educadores já perceberam que os algoritmos, por exemplo, não são apenas ferramentas que definem os limites de nossas bolhas nas redes sociais, pois eles podem ser muito úteis nos processos de aprendizagem.

Professor do programa de Mestrado em Educação e Novas Tecnologias da UninterLuciano Frontino de Medeiros falou sobre Aprendizagem Adaptiva durante a Semana Acadêmica de Docentes da instituição, realizada de 27 a 31 de janeiro. Nesse método, o ambiente virtual de aprendizagem, que antes era pensado para atender turmas e grupos de alunos, passa a ser personalizado e permite o trabalhado conforme as necessidades de cada aluno, fazendo com que o estudante tenha maior aproveitamento do ensino.

“A ideia é a personalização do ambiente e do conteúdo, como se o aluno fosse ‘vestir’ a ferramenta”, explica Luciano. “Previamente, podemos utilizar o conhecimento da psicologia a respeito dos estilos de aprendizagem e variação da personalidade das pessoas, de forma a servir como um diagnóstico para que a própria ferramenta se ajuste em termos do que o aluno é”, acrescenta. Segundo o professor, o que temos agora é um ambiente inteligente que interage com o aluno, e que também precisa reconfigurar a forma como o estudante administra sua vida acadêmica.

Além da explicação sobre o conceito de Aprendizagem Adaptativa e seu breve histórico, outros tópicos foram apresentados na palestra, como suas tendências, a instrução assistida por computador (CAI), sistemas tutoriais inteligentes (STI), tipos de adaptação e estilos de aprendizagem.

De acordo com o professor Armando Kolbe Junior, que esteve na palestra, esse conceito é cada vez mais pauta de discussão entre todos que se interessam pela educação. “Com o avanço das tecnologias, a criação de plataformas cada vez mais adaptativas tem sido possível devido a modelos de dados disponibilizados na ‘nuvem’, que com base nos variados perfis de cada indivíduo – no caso, usuários das plataformas – são adaptados às suas necessidades”, explica Armando.

Para Kolbe Junior, é sempre importante estar atento a essas tendências, e iniciativas como essa aproximam os professores das novidades, além de mostrar que eles precisam estar em constante atualização.

Embed HTML not available.
Autor: Valéria Alves - Estagiária de Jornalismo
Edição: Mauri König
Revisão Textual: Jeferson Ferro
Créditos do Fotógrafo: Lucas Vasconcelos - Estagiário de Jornalismo


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *