Serviço Social, a profissão que olha pelos vulneráveis

Autor: Lucas Vasconcelos - Estagiário de Jornalismo

O assistente social tem a função de amparar, cuidar e prestar assistência às pessoas que precisam de auxílio na busca por seus direitos de cidadão. Em geral, este profissional atua junto a comunidades carentes e é qualificado para resolver problemas de saneamento básico, moradia, saúde e emprego.

Para entendermos mais sobre essa profissão, conversamos com uma recém-formada do curso de Serviço Social da Uninter. Jaqueline Lourenço se formou em 2019 e hoje atua na cidade de Campo Largo, região metropolitana de Curitiba (PR).

Por que escolheu serviço social como curso superior?

Escolhi o serviço social por ter conhecido algumas pessoas que colaboraram em algumas fases da minha vida. Dessa maneira me interessei pelo trabalho de assistente social.

O que um assistente social faz?

O assistente social trabalha por meio da portaria 464, que estabelece as normas e orientações para elaboração, contratação e execução do Trabalho Social dos Programas e Ações do Ministério das Cidades. Isto inclui as intervenções de habitação e saneamento, objetos de operações e de repasses com entidades privadas sem fins lucrativos, as operações inseridas no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), demais programas que envolvam o deslocamento involuntário de famílias, e os empreendimentos executados no âmbito do Programa Minha Casa Minha Vida (PMCMV), em todas as suas modalidades.

Você já está trabalhando na área, certo? Nos conte um pouco mais sobre seu trabalho.

Atualmente trabalho para uma empresa terceirizada que atua através de licitações, fornecendo profissionais que são qualificados com o trabalho técnico, que é solicitado pelo órgão contratante. Estou há 3 meses na empresa Espaço de Vida.

Nesse trabalho, surgem situações com as quais é difícil de lidar. Já passou por alguma?

Olha, o trabalho tem os seus desafios, tendo em vista que a sociedade é dinâmica. Nós, do serviço social, temos que estar sempre atentos frente às expressões da questão social. Em área, nós encontramos situações de encaminhamento, como crianças fora da escola, idosos sem renda, e encaminhamos tudo para o CRAS (Centro de Referência de Assistência Social), ou para dar entrada ao BPC (Benefício de prestação Continuada) ou para outros órgãos, mantendo sempre um diálogo e respeito com a comunidade.

Você corre algum risco no exercício diário da sua profissão?

Ser um profissional de serviço social é desafiador, porém a população não tem resistência quando o profissional se apresenta. Nas comunidades, nós encontramos vários riscos, como animais soltos, lugares de difícil acesso, entre outros. Mas no contato com a população não vejo um risco ou perigo.

Como sua profissão pode mudar o mundo?

Olha, mudar o mundo eu não sei, mas fazer com que as famílias tenham acesso aos serviços públicos, esclarecendo os seus direitos e mudando a situação das famílias que residem em áreas de risco, que passem a ter dignidade na moradia e serviços de saneamento básico, tudo isso é motivador. Eu levanto todos os dias com vontade de dar o meu melhor em campo para que as pessoas possam acessar aquilo que está garantido na constituição federal, que é ter uma moradia digna e com os serviços básicos garantidos.

Embed HTML not available.
Autor: Lucas Vasconcelos - Estagiário de Jornalismo
Edição: Mauri König
Revisão Textual: Jeferson Ferro
Créditos do Fotógrafo: Arquivo pessoal/Jaqueline Lourenço


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *