Semana Acadêmica encerra com debate sobre políticas educacionais


Luiz Torrens – Estagiário do UNINTER Notícias

A coordenação de Ciência Política da UNINTER juntamente com o curso de Relações Internacionais promoveu, dos dias 17 a 21 de outubro, a semana acadêmica do curso. O evento aconteceu no período noturno, no auditório do campus Tiradentes, em Curitiba (PR).

Dentre as diversas palestras, os alunos contaram com falas de professores e especialistas em direito internacional, mobilidade urbana e educação e o conceito de escola sem partido. A última, ministrada pelo professor Alexandro Trindade, sociólogo e estudioso do pensamento social no Brasil, buscou explorar os conceitos de educação e as novas propostas do governo do presidente Michel Temer.

“Em geral a política educacional é muito importante para qualquer governo, é um dos pilares do estado moderno. Como qualquer debate educacional leva em consideração inúmeros agentes sociais, a ciência política, principalmente, deve ser muito cuidadosa com esse assunto”, ressalta Trindade.

Além das palestras, por tradição, a semana acadêmica conta com atividades interativas dos alunos. São simulados, direcionados aos dos dois cursos, que exploram situações reais. Houve três momentos de destaque: um debate das nações unidas, uma sessão plenária do congresso e um concurso de oratória.

“Buscamos trabalhar com temáticas atuais e conflitantes nas semanas acadêmicas, com o objetivo de fomentar discussões entre os alunos e promover reflexões que agreguem valor ao conhecimento. Com toda a problemática envolvendo as novas propostas de educação do governo federal, é importante que haja um debate e um posicionamento, principalmente dentro de um ambiente acadêmico como a universidade”, explica Pedro Medeiros, da coordenação do curso de Ciência Política.

A escola sem partido:

Segundo o site escolasempartido.org, o conceito de escola sem partido surgiu ao visualizar uma possível “doutrinação” de esquerda dentro de instituições de ensino pelo país. Propõem-se assim uma cultura de denúncia aos tutores, professores e educadores que, em sua análise, estejam impondo ideologias partidárias aos alunos e guiando-os contra as formações éticas familiares. Também disponibilizam um acervo de informações e relatos de “abusos” ideológicos para com alunos e pais. Apesar disso engrandecem a ideia de pluralidade de opiniões.

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *