AUTOCONHECIMENTO

Rudra cruzou o portal entre dois mundos. E nunca mais foi o mesmo

Desde muito jovem Rudra se interessou por assuntos filosóficos, espirituais e científicos. Uma mistura “bem exótica e explosiva”, como ele mesmo afirma. No decorrer de sua vida, passou por diversas religiões e práticas espirituais, mas foi na ioga que encontrou uma espiritualidade que pôde ser sentida pelo seu corpo.

O desejo de aprender a nova prática direto da fonte foi se tornando cada vez maior. Um impulso inexplicável, somado ao desapego da juventude, o levou a se perguntar “por que não?” Em 2008, decidiu largar a música clássica, que estudava na França, para morar na Índia e ampliar seu conhecimento sobre a ioga. Mas não podia imaginar que sua decisão mudaria a sua vida e a de dezenas de pessoas.

Em terras indianas, se aprofundou nos estudos e buscou nessa filosofia de vida milenar o autoconhecimento e a harmonia entre o corpo e a mente. Ao participar de um ritual de iniciação, raspou a cabeça e ganhou o nome que carrega desde então: Rudra Das.  Tornou-se bacharel, mestre e chegou a iniciar um doutorado em Ciências da Ioga.

Retornou ao Brasil após 7 anos em um dos países mais exóticos do mundo. Em sua bagagem trouxe o desejo de compartilhar a filosofia e as técnicas da ioga com o maior número de pessoas que pudesse.

Sentia que sua missão era ensinar tudo o que aprendeu, desmitificando a prática que no Brasil é associada à atividade física ou ao hinduísmo. Duas perspectivas que, para ele, não expressam todo o potencial da ioga.

Em busca do objetivo de resgatar a tradição oriental, Rudra continuou com seus estudos no Brasil e logo percebeu uma dificuldade de dialogar com pessoas de outras áreas. Tanto sua fala como suas pesquisas não eram compreendidas. Foi nesse momento que encontrou na filosofia uma ponte para um diálogo interdisciplinar.

Iniciou em 2014 uma nova fase na sua vida, matriculando-se em dois cursos: Licenciatura em Filosofia, na Uninter, e pós-graduação em Filosofia Clínica. Em 2018, tornou-se filósofo. Seu trabalho de conclusão de curso foi intitulado “Mente na Filosofia do Yoga e Filosofia da Mente”, aproximando os pensamentos do Oriente e do Ocidente.

Obstinado, em 2019 começa outra jornada: iniciou o bacharelado em Física e o mestrado em Ciências da Religião, no qual foi aceito, após ter passado por um processo seletivo rigoroso, com o projeto de pesquisa “A ética da compaixão: compreensão desse percurso em Arthur Schopenhauer e na prática do Yoga de Patanjali”, na PUC Minas, orientado pelo professor Dr. Fabiano Victor de Oliveira Campos.

Além dos estudos, Rudra promove cursos, palestras e treinamentos em sua escola de ioga e em várias instituições de ensino, como a Universidade Federal de Alfenas, a Universidade Estadual de Minas Gerais e a PUC Minas.

É nesses espaços que ele consegue transmitir seu conhecimento em prol de uma vida melhor para todos que residem em Poços de Caldas e região. “Atualmente estou terminando uma capacitação para 50 profissionais de saúde da prefeitura de Poços de Caldas em Yoga Nidra, em parceria com a PUC Minas, que visiona a inclusão da prática integrativa do Yoga Nidra no SUS de Poços de Caldas”.

Rudra acredita que sempre podemos aprender mais. Para ele, o ser humano e o mundo são muito grandes para serem olhados sob uma única perspectiva.

Ao ser questionado sobre seus planos para o futuro, conta que pretende fazer um doutorado em Ciências da Religião e afirma que, se tiver forças, fará um novo mestrado em física. “Sinto prazer em estudar e me desenvolver em áreas que as pessoas acham opostas, mas que, no fim da jornada, se complementam”.

Filosofia na Uninter

Uninter Notícias – Como foi estudar Filosofia na modalidade a distância na Uninter?

Rudra – Eu adorei o curso de Filosofia da Uninter. Ter a possibilidade de estudar nos meus horários foi fantástico. A Uninter me conquistou pela simpatia do polo de Poços de Caldas e pela grade curricular do curso. É uma das poucas universidades do Brasil que oferece matérias como Filosofia da Mente e Filosofia da Linguagem dentro de sua grade curricular. Isso sem dúvida foi um ponto positivo para eu escolher a instituição.

Física e Ciência da Religião

UN – Qual sua expectativa em relação aos novos cursos?

Rudra – Com o bacharelado em Física, posso aprofundar ainda mais o conhecimento da área científica e unir filosofia e ciência. No mestrado eu unirei novamente a sabedoria do Oriente com o Ocidente através do meu filósofo favorito: Arthur Schopenhauer. Espero abrir ainda mais o diálogo. O mundo já está muito cheio de discursos fanáticos, raivosos e rasos, sinto que é chegada a hora de promovermos um discurso respeitoso nas mais diversas áreas do conhecimento.

 Ter tempo é uma questão de prioridades

UN – Como você gerencia o seu tempo? Com tantos afazeres e diante desse “mundo líquido” no qual vivemos, é possível não ser ansioso?

Rudra – Quando queremos algo e temos foco, arrumamos tempo. Apesar de eu fazer tantas coisas, eu ainda tenho tempo para me divertir e ter uma vida pessoal muito saudável. Costumo dizer para meus alunos: “Se você diz que não tem tempo para fazer isso ou aquilo, é porque isso ainda não é prioridade para você. Quando for, você o fará”. Assim, vivo minha vida, colocando prioridades na vida acadêmica e nas pesquisas, nasci para isso. Acho que não sou ansioso pois aplico a sabedoria estoica no meu dia a dia: não me preocupo com o que não pode ser mudado e trabalho duro para o que pode ser mudado. Vivo o presente e sou grato pelas oportunidades que a vida dá e tira. Eu sou um sopro no tempo de vida do universo, sou extremamente grato por fazer minha existência valer a pena.

Embed HTML not available.
Autor: Juce Lopes - Estagiária de Jornalismo
Edição: Mauri König / Revisão Textual: Jeferson Ferro
Créditos do Fotógrafo: Arquivo pessoal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *