Por que o MEC deu nota máxima ao curso de Segurança Pública da Uninter

Autor: Jaqueline Deina - Estagiária de Jornalismo

Há sempre muita celebração quando um novo curso forma sua primeira turma. Mas outra fase, tão importante quanto esta, é o momento de receber a comissão de avaliadores do Ministério da Educação (MEC) pela primeira vez. Afinal, são eles que vão validar todo o trabalho desenvolvido até ali e possibilitar a continuidade do curso.

O curso de Tecnologia em Segurança Pública da Uninter iniciou as atividades na modalidade a distância em fevereiro de 2016. Idealizado pelo vice-reitor da instituição, Jorge Bernardi, que também atuou como coordenador, o curso teve grande adesão desde o começo. Em 2018, cerca de 800 alunos fizeram parte da primeira turma formada.

Para validar um diploma de ensino superior, é necessário que os cursos atendam a uma série de critérios exigidos pelo MEC. O atual coordenador, Gerson Luiz Buczenko, explica que o curso já havia solicitado a visita da comissão desde 2018. Anunciada em julho deste ano, a visita aconteceu entre os dias 4 e 7 de agosto.

E não foi surpresa quando os avaliadores contemplaram o curso com a nota máxima. “Para nós, é um grande privilégio. Não só pelo nosso trabalho, mas por oportunizar aos nossos alunos um curso com esse porte”, declara o coordenador. Ele afirma que desde o começo o curso foi pensado em cada detalhe, com muito cuidado e profissionalismo.

“Nós temos um público muito específico da área de segurança pública, então o curso foi formatado de uma maneira singular. As disciplinas, a grade curricular, os convidados das aulas interativas, as rotas dialógicas; tudo isso é pensado para a melhor formação desse profissional”, explica Gerson.

Para Gerson, a seriedade do curso, o grau de profissionalismo, a dedicação dos professores, de toda a equipe e da Escola Superior de Gestão Pública, Política, Jurídica e Segurança, comandada pela diretora Débora Veneral, foram essenciais para que “transparecesse a qualidade do curso no momento da avaliação”.

Sobre o curso

O curso de Segurança Pública da Uninter tem a duração de dois anos e confere ao aluno o título de tecnólogo. Ele é dividido em 6 módulos e aborda temas como: Princípios de cidadania, com foco em direitos humanos e direito aplicado à atuação na segurança pública. Além disso, existem algumas disciplinas que são exclusividade da instituição, como a disciplina de Polícia Comunitária.

“Temos muitos livros escritos por agentes da segurança pública, policiais militares e civis, delegados. As rotas foram gravadas com pessoas específicas da área, como o professor Alessandro José Fernandes de Oliveira, que é hoje procurador da República”, conta Gerson.

O coordenador explica que, para gravar as rotas de estudos e ministrar as aulas interativas, cada professor é escolhido pelo grau de profissionalismo e conhecimentos da área. “Esse domínio da área traz um conteúdo diferenciado, o que agrega muito para o curso”, comenta.

Antes de gravar as rotas dialógicas e de aprendizagem, os professores selecionados fazem uma capacitação e apresentam um plano de aula, que deverá ser aprovado pela coordenação do curso. As aulas interativas acontecem a cada 15 dias e sempre com os profissionais que gravaram as rotas de aprendizagem. É o momento em que os alunos podem interagir e tirar dúvidas.

Um visita 5 estrelas

Gerson conta que os avaliadores ficaram encantados com a estrutura da Uninter e com a organização do curso. “Estava tudo documentado e as evidências estavam todas em ordem”, diz. A visita ao departamento de Logística também foi parte importante na hora de avaliar a instituição. “Eles ficaram encantados com a estrutura que a Uninter dispõe para distribuição de livros para todo o Brasil”, reforça.

Ao conhecerem os estúdios onde são gravadas as vídeo-aulas, eles se impressionaram com a tecnologia que dá suporte ao trabalho da instituição. “Destacaram também o cuidado que a Uninter tem com os avaliadores”. A pró-reitora de Graduação e Assuntos Institucionais, Denize Carneiro Campos, recebeu e acompanhou os avaliadores durante todo o tempo. “Eles se sentiram acolhidos”, declara o coordenador.

Ele também reforça que há sempre o suporte da reitoria para a preparação dos materiais e das evidências que serão apresentadas à comissão do MEC. “Há uma preparação padrão no que diz respeito à documentação. Quando assumi a coordenação do curso, no final de 2018, tive a missão de apenas dar continuidade ao excelente trabalho que já vinha sendo feito desde o início do curso”, completa Gerson.

Embed HTML not available.
Autor: Jaqueline Deina - Estagiária de Jornalismo
Edição: Mauri König
Créditos do Fotógrafo: Ariadne Körber - Estagiária de Jornalismo


13 thoughts on “Por que o MEC deu nota máxima ao curso de Segurança Pública da Uninter

  1. Sou Aluno do Curso de Segurança Pública, Gostaria de saber so O cirso de Tecnologo em segurança Publica ja esta reconhecido pelo Mec e qual Portaria e a data da publicação?

      1. Olá, preciso comprovar vínculo empregatício com instituições públicas no setor da área de Segurança Pública?
        Existe algum requisito diferenciado do convencional(ter ensino médio completo) para se graduar neste curso?
        Porque e em qual portaria do MEC aponta tantas instituições terem esse requisito?

  2. Boa noite, porque o curso de segurança privada foi reconhecido pela portaria do MEC e o de segurança pública ainda não, sendo que a avaliação positiva do de segurança pública foi antes do de segurança privada. Obrigado.

    1. Segue resposta da coordenação:
      Por questões burocráticas que desconhecemos, o Curso de Segurança Privada acabou por obter a Portaria de Reconhecimento antes do Curso de Segurança Pública. Porém, neste momento, ambos os Cursos estão devidamente reconhecidos por meio de Portaria do MEC.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *