Concurso Cultural - Egresso

Para Renê, viver é aprender

Autor: Lorena Melirra da Silva – História (Taguatinga – DF)

Aos 84 anos, Renê Naves graduou-se em Filosofia na Uninter e realizou um sonho antigo

Vivendo em Brasília desde maio de 1960, quando tinha 23 anos de idade, Renê Naves havia decidido se mudar para a novíssima capital do Brasil em busca de melhores condições de vida. Com o passar do tempo, foi criando raízes e trazendo a sua família, na medida em que ia conquistando uma vida estável.

De origem humilde, filho de um agricultor e de uma dona de casa de Araguari, interior de Minas Gerais, Renê lembra que em sua época de juventude estudar era algo muito seleto, reservado apenas para quem possuía boas condições financeiras.

Como sua família era de origem modesta, ainda criança ele precisou trabalhar para ajudar a manter a casa, e a partir dos 12 anos já contribuía nas despesas de sua família. Exerceu diversos ofícios, tendo trabalhado como engraxate, carregador de marmita, serralheiro, ajudante em oficina e soldador, até que se mudou para o Rio de Janeiro em 1957.

Na capital fluminense, Renê passou um ano fazendo um curso de madureza (era assim que se chamava a formação ginasial existente na época) disponibilizado pela Força Aérea Brasileira (FAB), e trabalhando como lanterneiro, e então resolveu estudar para o concurso de especialista em manutenção de aviões, ofertado na cidade de Guaratinguetá (SP).

Apesar da seleção ter sido bastante concorrida, Renê passou em 13º lugar, tendo disputado com 6.400 candidatos. Após se formar no curso de especialista, resolveu se mudar para Brasília, atraído pela grande demanda de trabalhadores que havia na nova capital federal. Renê vislumbrava a possibilidade de mudar de vida e melhorar a condição social de sua família.

Conquistou um cargo na Força Aérea Brasileira e se fixou em Brasília. Apaixonado pela leitura, aproveitava para fazer todos os cursos de especialização que podia, buscando ser  um aluno de destaque e trabalhando como monitor da turma sempre que podia. Uma graduação, no entanto, era um sonho distante naquela época.

Depois de 27 anos de trabalho na FAB, Renê se aposentou em 1987. Mas ainda não dava para parar de trabalhar e ele começou uma nova carreira, como comerciante no ramo de eletrônicos e informática, ofício em que atuou até 2012.

Veio a aposentadoria definitiva, mas aquele sonho de fazer uma faculdade continuava vivo. Retomar os estudos nessa idade não seria tarefa fácil, afinal, quando se para de estudar por um longo período, são muitas as razões que dificultam a volta. E René é um grande exemplo de como é possível recomeçar essa jornada.

Começou então a fazer sua graduação em Pedagogia. Mas, como não se identificou muito com o curso e nem com a instituição de ensino, resolveu mudar. E no ano de 2016 começou a cursar Filosofia na Uninter.

Indagado sobre sua escolha pela Uninter, Renê responde que escolheu essa instituição por saber de sua qualidade de ensino, através de vários feedbacks positivos que recebeu. Além disso, poderia estudar próximo de casa, no polo Venâncio 2000, situado na Asa Sul (DF).

Concluiu o curso em 2019. Ele e a família estavam todos ansiosos para que houvesse a cerimônia de entrega de diplomas para que, enfim, Renê fosse “oficialmente” formado. Mas, infelizmente, devido à pandemia mundial do novo coronavírus, sua festa de formatura somente ocorrerá quando a situação sanitária brasileira começar a se restabelecer.

Após formar-se em Filosofia, Renê passou a se interessar mais pelo estudo da história, o que o motivou a continuar estudando, dessa vez cursando uma pós-graduação em Sistema de Ensino da História, curso no qual ele já está prestes a se formar!

Dono de uma história de vida admirável, Renê exibe força de vontade e determinação para continuar aprendendo e aperfeiçoando seus conhecimentos. Quando perguntado se teria algum conselho para compartilhar com as pessoas que hesitam em voltar aos estudos por causa da idade, e que porventura possam se sentir desmotivadas, ele responde: “Aprender é algo que você não pode parar nunca, se você desiste do saber, já está morrendo aos poucos.”

Que este jovem estudante de 84 anos seja um exemplo a ser seguido, pois mais do que nunca, a nossa sociedade brasileira precisa exercitar o pensamento crítico, que é resultado de quando nos permitimos, e quando nos é permitido, estar aberto ao aprender.

Incorporar HTML não disponível.
Autor: Lorena Melirra da Silva – História (Taguatinga – DF)
Revisão Textual: Jeferson Ferro


3 thoughts on “Para Renê, viver é aprender

  1. Mas, gente!!!! Que história mais linda e admirável! Vontade de dar um abração bem apertado nesse senhorzinho!!!! Parabéns pela escolha e por compartilhar essa história conosco, Lorena!!!

  2. Renê Naves! Parabéns pela sua história de vida, desde jovem determinado e buscando conhecimento, homem de busca de novos horizontes na leitura, cheio de coragem e ousadia o que o fez realizar o sonho da Graduação em Filosofia na UNINTER e não satisfeito sabendo que era capaz de mais realizações está cursando uma pós graduação em sistema de ensino da História. Admirável e inspiradora a sua vida!

  3. Parabéns pela conquista Renê …vejo com muita alegria ao encontrar pessoas buscando sempre realizar algum sonho, Para isso basta vontade e dinamismo para sempre aprender. Te compreendo porque ano assado também realizei meu sonho na UNINTER.
    Tenho 69 anos e cursei Licenciatura em História , e agora estou terminando uma pós em Liturgia. Também sou aposentado, mas isso não é motivo para parar de sonhar.. Vamos em frente.. e sucesso Renê

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *