Curso de robótica aplicada à educação atrai três mil pessoas de todo o país


Denise Becker – Estudante de Jornalismo

Quando o assunto é robótica, logo se estabelece uma relação com tecnologia e inovação. De imediato se faz associação com dispositivos mecânicos e eletrônicos. Mas a robótica vai além disso. A ela pode-se empregar funções humanizadas e pedagógicas, aliando as ferramentas tecnológicas para a educação do século 21.

Essa inovação está na proposta do curso de extensão Robótica na Educação: do conceito à prática, elaborada pela Escola Superior de Educação da UNINTER. Gratuita e no formato de Ensino a Distância, a capacitação atraiu mais de três mil inscritos de todo o Brasil. As aulas tiveram início em setembro e serão concluídas até o fim de novembro.

Professora do curso do Mestrado Profissional em Educação e Novas Tecnologias da UNINTER, Luana Wunsch, diz que a inovação no ensino de robótica foi um grande desafio. Sobretudo pelos altos custos do curso e dos materiais. O objetivo da equipe é levar uma robótica sustentável, acessível e alternativa, que contemple todas as regiões do país, criando oportunidades de aprendizado para alunos, investigadores e professores.

“Nós queríamos não só ensinar a fazer robô, porque isso você encontra no Youtube, mas fazer um robô com uma prática e conceitos pedagógicos, explicando porque utilizar os materiais reciclados e no que essa iniciativa dentro da escola pode fazer a diferença na aprendizagem e no raciocínio lógico de alunos e professores”, pontua Luana.

A estrutura do curso foi montada com uma sequência de oito vídeos, nos quais são dadas noções teóricas da robótica, conceitos educacionais do desenvolvimento cognitivo e formação de professores para trabalhar com esse tipo de material. Os vídeos também ensinam o passo a passo do curso, onde comprar os recursos, quais são recicláveis e como utilizar esses materiais para fazer um robô.

“Nós ensinamos em sala de aula que cursos de inserção às tecnologias têm de ser barato e acessível para qualquer público, não podíamos cobrar para isso”, enfatiza Luana. O curso contou com o apoio de uma comissão científica da qual fazem parte alunos do mestrado e grupo de pesquisa em Robótica Educacional. Essa comissão faz a tutoria e mediação para os inscritos.

Edição: Mauri König


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *