Congresso reúne 4 mil para discutir a formação docente

Talita Santos – Estagiária de Jornalismo

Quatro mil professores da educação básica à superior, pesquisadores, estudantes de graduação e pós-graduação do Brasil e de países como , França, Inglaterra, Chile, Argentina e Moçambique estão em Curitiba ao longo desta semana para debater a formação de docentes. O 13º Congresso Nacional de Educação (Educere) teve início na segunda-feira (28) e irá até esta quinta-feira (31) na Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR). O evento é realizado a cada dois anos, e nesta edição o tema é “Formação de professores: contextos, sentidos e práticas’”.

Alunos e professores da Uninter apresentarão cinco trabalhos no congresso. Aluna do curso de licenciatura em Matemática a distância da Uninter, Ana Patrícia Henzel Richter participa pela primeira vez do evento. Ela conta também que está muito ansiosa para ver as apresentações. “Espero conhecer muitas universidades, trocar ideias com os professores e também levar as nossas experiências de professor de educação básica”, diz Ana.

Ana mora em Palmeira das Missões (RS), já é bacharel em informática e acredita que esta formação contribuiu para a elaboração deste projeto. O trabalho é “a realidade virtual no contexto da educação básica”. “A ideia era fazer um projeto interdisciplinar e utilizar o Google Expeditions para trabalhar as diferentes paisagens do Rio Grande do Sul dentro da sala de aula através da realidade virtual”, relata Ana.

Orientadora desse trabalho, a professora Luana Priscila Wunsch explica que outros quatro projetos da Uninter foram aprovados no Educere. Além disso, o congresso permite aos alunos conhecer muitos dos autores de trabalhos estudados em sala. “Os trabalhos são resultados do nosso grupo de pesquisa. Então, são discussões teóricas que a gente tem uma vez por mês”, diz a professora.

Ana conta que o programa de iniciação científica da Uninter foi fundamental, pois através dele teve um contato maior com a pesquisa científica. Ela ainda fala que é importante incentivar os alunos para esta prática, assim como sua orientadora fez.

“Sempre peço para eles irem a congressos e apresentar trabalhos. É assim que a gente consegue ver o que as pessoas da nossa área estão escrevendo ou o que estão pesquisando. É uma network de educação e troca de experiências. Trazemos bastante coisa na Uninter para eles assistirem. O legal de ir a um congresso é que eles apresentam e recebem o respaldo da comunidade científica sobre o trabalho deles”, diz Luana.

Edição: Mauri König

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*

Arquivos

Histórico