Atividade física reduz risco de queda em idosos

Autor: Ana Oliveira - Estudante de Jornalismo

Uma das grandes preocupações com a saúde dos idosos é prevenir quedas. Independentemente da idade, todas as pessoas correm o risco de cair. Mas, para quem tem idade avançada, uma queda pode significar um acidente com consequências graves, como fraturas. Quando isso acontece, um idoso que antes era ativo passa a depender de cuidados de outras pessoas.

A prática de atividade física reduz as chances e os índices de queda em idosos. No artigo Atividade física e prevenção de quedas em idosos: uma atualização da literatura, publicado na última edição da Revista Intersaberes, os pesquisadores Rafael Luciano de Melo, professor do curso de Educação Física na Uninter, e Fábio dos Passos Machado, graduando do mesmo curso, apresentam uma interessante revisão da literatura que analisa a associação entre exercício físico e prevenção de quedas em pessoas a partir dos 60 anos. Os autores destacam que a literatura especializada descreve a prática regular de atividade física como uma forma eficaz de prevenção dessas quedas.

O estudo revela ainda que “os idosos apresentam maior prevalência de quedas em comparação aos indivíduos mais jovens, o que resulta em um aumento na taxa de mortalidade desta população”. De acordo com a pesquisa, “as quedas são a segunda causa de morte por lesão não intencional no mundo. Aproximadamente 28%-35% das pessoas com mais de 65 anos caem anualmente, progredindo ao percentual acima dos 40% em idade igual ou superior a 70 anos, fato bastante preocupante e de recorrente investigação”.

A população de idosos no mundo até 2050 terá um aumento de aproximadamente 2 bilhões de pessoas, o que representará 25% da população total, revela pesquisa. Outra observação destacada no texto mostra que “embora o envelhecimento seja algo natural, os hábitos adotados no cotidiano são determinantes para a qualidade de vida nessa faixa etária”. A perda drástica de massa e força muscular é comum entre idosos, reduzindo sua autonomia, independência e qualidade de vida.

Outro ponto a ser observado é a escolha da atividade física, que deve ser criteriosa: “para a manutenção da saúde e prevenção de doenças, recomenda-se que os idosos realizem ao menos 150 minutos de atividade aeróbia moderada por semana, ou metade disto em intensidade vigorosa”.

Apesar de comuns, é preciso entender que as quedas em pessoas idosas não são uma situação normal. Ao contrário, elas podem sinalizar que algo não está bem na saúde do idoso.

O estudo feito pelos autores revela que o exercício físico foi a intervenção mais comumente citada entre as dezenas de tratamentos utilizados na análise da associação com o número de quedas. Reforça ainda a utilização do treinamento resistido e, principalmente, de exercícios que desafiem o equilíbrio, como formas apropriadas de treinamento para essa faixa etária.

Os autores concluem afirmando que para evitar quedas, a pessoa idosa deve adotar alguns cuidados, como praticar atividade física de fortalecimento muscular e equilíbrio e fazer um acompanhamento regular da saúde integral, para que possa identificar problemas relacionados como diabetes e outros fatores associados à perda do equilíbrio.

Embed HTML not available.
Autor: Ana Oliveira - Estudante de Jornalismo
Edição: Mauri König
Revisão Textual: Jeferson Ferro
Créditos do Fotógrafo: Magda Ehlers/Pexels


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *