A prática de instrumentos de sopro na recuperação da Covid-19

Autor: Florinda Cerdeira Pimentel*

De tantas tragédias que vemos na TV todos os dias, uma notícia muito interessante e animadora me chamou a atenção. É sobre o músico Caetano Kraemer (foto), que tem se recuperado das sequelas da Covid-19 tocando seu saxofone. De acordo com seu fisioterapeuta, a prática do instrumento impediu o surgimento de uma deformidade de tórax, uma vez que, Caetano também possui um quadro grave de asma.

Com o número de casos de Covid-19 subindo a cada dia, sobe também o número de recuperados e destes, muitos se queixam de sequelas como, por exemplo, a perda do olfato, paladar e dificuldades respiratórias.

Sendo assim, vale refletir: A prática de instrumentos de sopro contribui para melhorar a capacidade pulmonar?

Assim como atletas da natação e outras modalidades esportivas precisam de fôlego para realizar suas atividades, os instrumentistas de sopros também demandam de força e habilidade de controle respiratório para que haja a emissão correta dos sons pelo instrumento. Esta habilidade é alcançada mediante a treinos específicos que ampliam significativamente a capacidade pulmonar do indivíduo. Uma das técnicas principais ocorre pela respiração diafragmática, em que o instrumentista aprende a utilizar a força muscular do diafragma para controlar entrada e a saída de ar.

Estudos com fonoaudiólogos mostram que a prática de instrumentos de sopros como um recurso terapêutico, promove um auxílio importante na capacidade respiratória em pacientes com a doença de Parkinson (DP). Segundo as autoras do estudo, Rosa, Cielo e Cechella (2009), a prática de um instrumento de sopro, agregado a exercícios respiratórios específicos, expande e fortalece o músculo pulmonar.

Um outro estudo realizado pela Universidade São Camilo (SP), avaliou a função pulmonar de 77 músicos da Escola Municipal de Música de São Paulo, sendo 51 instrumentistas de sopro e mais 26 músicos que tocavam outros instrumentos. Os músicos foram submetidos a testes de capacidade pulmonar e força respiratória. Neste estudo foi possível observar que, os instrumentistas que tocam instrumentos de sopro adquiriram, com a prática, uma maior capacidade pulmonar em relação a força muscular, qualidade e controle respiratórios, comparado aos músicos que tocam outros instrumentos, como cordas e percussão.

Mas afinal, o que é um instrumento de sopro?

São instrumentos musicais em que a produção sonora é realizada mediante ao sopro dentro de um tubo. Este tubo possui várias formas e tamanhos e diversas maneiras de soprar, por vibração de palhetas simples, como clarinete e sax; palhetas duplas, como oboé, corne inglês e fagote; embocadura livre, como a flauta transversal e o flautim; ou ainda bocais, como os instrumentos de metal que são trompetes, trompas, bombardinos, tubas e outros. Quanto maior o instrumento, mais grave será o seu som e quanto menor, mais agudo.

Como instrumentista de flauta transversal há mais de 30 anos, posso afirmar que a prática de tais instrumentos exige do músico um treino respiratório capaz de aprimorar a funcionalidade pulmonar, devido à necessidade de possuir autocontrole durante a produção sonora em relação à intensidade do sopro, ao produzir uma nota forte ou fraca, ao direcionamento do sopro na emissão de diferentes alturas e fôlego suficiente para atingir notas longas sem perder a qualidade, intensidade e afinação.

E você, que conseguiu se recuperar da Covid-19, mas ainda sente dificuldades para respirar, que tal aprender a tocar um instrumento de sopro e colocar um pouco de música na sua vida?

* Florinda Cerdeira Pimentel é licenciada em Música e História, especialista em Educação Musical e professora da área de Linguagens Cultural e Corporal no curso de licenciatura em Música da Uninter.

Incorporar HTML não disponível.
Autor: Florinda Cerdeira Pimentel*
Créditos do Fotógrafo: Divulgação


1 thought on “A prática de instrumentos de sopro na recuperação da Covid-19

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *