Vivendo da música desde criança, Leonardo agora quer ser professor

Autor: Fillipe Fernandes - Estagiário de Jornalismo

É senso comum dizer que a educação transforma a vida das pessoas para melhor, o que é também a mais pura verdade. Leonardo Esteves é mais uma prova disso. Músico profissional, como boa parte dos profissionais dessa área, Leonardo procurava o sucesso fazendo parte de bandas e encontrando lugares para tocar. Mas de um tempo para cá, o sonho de viver de música mudou de perspectiva: agora ele sonha com a carreira de professor.

Leonardo tem 34 anos e começa a cursar Música no novo polo da Uninter na Rocinha. “Conheci a Uninter através de uma dessas plataformas online de bolsas de estudo. Estava procurando algo na área de música e foi assim que nosso encontro aconteceu. Escolhi a Uninter porque encontrei um polo bem próximo a minha casa e também foi a instituição com os melhores descontos para estudar”, comenta.

Com o curso de Música, Leonardo pretende se especializar em docência musical. “Meu objetivo é trabalhar com educação de jovens, em escolas, cursos. Agora penso na graduação, mas quem sabe no futuro não faça um mestrado, doutorado? O que eu quero é dar aulas e assim continuar vivendo de música”, explica.

A relação de Leonardo com a música é cheia de altos e baixos, alternando momentos nos quais ele vivia mais próximo da prática musical e outros em que estava mais distante. “Eu vivo a música desde criança, toco desde os dez anos de idade. Tive o prazer e a honra de ter ao lado amigos que compartilhavam o mesmo sonho que eu, que queriam viver disso. Montamos uma banda.”

Leonardo sempre teve de ir à luta para viver seus sonhos, pois os pais não tinham condições de dar os incentivos necessários para o desenvolvimento de Leonardo na música. Para eles, isso era diversão, não trabalho. “A trajetória nunca foi fácil, nunca tive muito apoio dos meus pais, meus instrumentos sempre comprei com o meu dinheiro. Meu primeiro banjo, por exemplo, eu tinha um emprego paralelo à música e comprei”.

A vida adulta do futuro músico começou em um lugar bem diferente do que poderia se imaginar. Leonardo fez parte das forças armadas. “Quando tinha 18 anos, eu ainda não sabia qual faculdade faria. Passei um período da vida adulta como militar, fiquei quatro anos na aeronáutica. Saindo de lá, fui estudar música em uma escola. Fiquei quatro anos e meio estudando, e nesse período amadureci a ideia de uma formação como músico”, conta.

Hoje, Leonardo é um dos diretores musicais do Grupo Decisão. “Faço parte dele há oito anos. Cheguei muito cru, com bastante dificuldade e contornei tudo isso com muito estudo e dedicação. Eu respiro música o tempo todo. Fazemos músicas autorais e alguns covers.”

O curso da Uninter trouxe a Leonardo a possibilidade de viver de música, sem necessariamente estar em uma banda. Para isso, ele vai estudar pela modalidade de educação a distância (EAD). “Durante algum tempo eu tive bastante dúvida sobre esse método de estudo. Sempre fui da opinião de que era praticamente impossível manter os estudos sem presença física. Eu saí desse tipo de pensamento quando comecei a dar aulas em vídeo. Eu trabalho também como professor de cavaquinho e mesmo a distância, via a evolução dos meus alunos. Hoje mudei completamente o meu pensamento”.

A dedicação à música durante toda uma vida é a motivação para esse novo passo na trajetória profissional de Leonardo. “A vida de músico no Brasil é muito difícil. Eu escolhi fazer essa faculdade porque eu quero continuar sendo músico pelo resto da minha vida”, finaliza.

Embed HTML not available.
Autor: Fillipe Fernandes - Estagiário de Jornalismo
Edição: Mauri König
Revisão Textual: Jeferson Ferro


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *