Seminário de Comunicação bate recorde de participantes

Autor: Fillipe Fernandes - Estagiário de Jornalismo

O Seminário de Comunicação Uninter acontece todos os anos desde 2016, organizado pelos cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda. Este ano, por causa da pandemia de Covid-19, o evento deixou de acontecer no campus Tiradentes e foi transferido para o Youtube. A mudança de formato poderia ser um problema, mas, na verdade, acabou se mostrando bastante positiva. Por ser totalmente online, o evento teve número recorde de inscritos e ouvintes e também aumentou a abrangência das instituições participantes.

O professor Guilherme Carvalho, coordenador do curso de Jornalismo e um dos organizadores do evento, comentou sobre esse aumento da participação no seminário. “No formato presencial, era uma média de pouco mais de 20 trabalhos apresentados. Este ano, por causa do formato online, aconteceu uma virada. Foram 62 trabalhos inscritos. Tivemos 4 sessões com apresentação de trabalhos e uma mesa de abertura com dois pesquisadores renomados na área de comunicação do Brasil. Foi possível fomentar a pesquisa na Uninter e também abrir espaço para pesquisadores de outras instituições”, diz Guilherme.

Pela primeira vez na história do seminário, o número de trabalhos oriundos de outras instituições de ensino foi superior ao de trabalhos apresentados por pesquisadores da própria Uninter. Dos 62 trabalhos, 19 eram Uninter e 43 de outras instituições. A Universidade Tuiuti do Paraná (UTP), parceira na organização do evento, trouxe 10 trabalhos. A PUC Campinas e a USP apresentaram 4 trabalhos cada, além da participação de outras instituições como a Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Cásper Líbero, Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT) e Universidade Federal do Paraná (UFPR), entre outras.

A região Sul concentrou a maior parte dos apresentadores: foram 35 trabalhos do estado do Paraná e 5 do Rio Grande do Sul. Na região Sudeste, destaque para São Paulo com 12 trabalhos. No Centro-Oeste, 2 trabalhos vieram do Mato Grosso; e na região Nordeste, destaque para a Bahia, com 3 trabalhos.

Colaborar para a divulgação e o aprimoramento das pesquisas, além de fomentar a produção científica entre alunos e professores. Esses são os principais objetivos do seminário, que desde seu início contou com apoio institucional da Uninter. “Sempre houve apoio. Tanto da reitoria como da pró-reitoria de pesquisa e da coordenação de pesquisa. Isso é fruto do compromisso da instituição com a pesquisa. É um tripé: ensino, pesquisa e extensão”, explica Guilherme.

O seminário se originou nos trabalhos do grupo de pesquisa Comunicação, Tecnologia e Sociedade, que existe até hoje e abarca profissionais dos cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda em sua equipe. Guilherme entende que o evento pode viabilizar uma rede de pesquisadores em comunicação. “A ideia é contribuir com as pesquisas da Uninter, estabelecer diálogos, relações entre pesquisadores de outras instituições, para que eles possam trazer olhares também sobre a nossa produção e para que a gente também possa olhar o que está sendo produzido por outros pesquisadores de fora. Estabelecer relações de pesquisa que nos permitam futuramente construir uma rede de pesquisadores e trocar experiências que serão úteis para nós e para eles”, expõe o professor.

A pesquisa faz parte da formação de um bom profissional. Por mais que o objetivo final da maioria dos graduandos seja buscar uma colocação no mercado de trabalho, não se pode negligenciar essa parte do processo de formação. “Entendo que a pesquisa faz parte, a produção científica faz parte da graduação. Ela agrega não apenas para o aluno, mas também para a qualificação da formação desses profissionais que futuramente vão atuar no mercado de trabalho ou também como pesquisadores nos seus mestrados e doutorados”, comenta Guilherme.

Para ele, o bom resultado que o V Seminário de Comunicação Uninter deste ano se deve às facilidades que a realização remota do evento proporcionou. “Um dos grandes diferenciais foi a realização 100% online. Confesso que eu não tinha visto ainda um evento com apresentação de trabalhos feito dessa forma, pelo menos não na área de comunicação. Estamos inovando. Isso tem a ver com a vocação da Uninter de apostar no EAD e no uso das tecnologias. Recebemos elogios, um evento como esse favorece os pesquisadores sobretudo porque não tem custo de viagem, estadia. Espero que estejamos sendo pioneiros em um formato de evento que tende a se consolidar em outros ambientes. Nos próximos anos seguiremos com esse formato, que foi um sucesso”, finaliza.

Embed HTML not available.
Autor: Fillipe Fernandes - Estagiário de Jornalismo
Edição: Mauri König
Revisão Textual: Jeferson Ferro


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *