Quem são os professores da Uninter e como avaliam a instituição?

Autor: Julia Siqueira - Estagiária de Jornalismo

A Comissão Própria de Avaliação (CPA) é a responsável pelas pesquisas e análises que medem a percepção de docentes e estudantes quanto à qualidade do ensino e serviços ofertados pela Uninter. Desde março, a CPA vem trabalhando em uma série de avaliações que auxiliam na formulação de políticas e ações dos cursos e das escolas superiores da instituição, assim como de departamentos e áreas administrativas.

A Pesquisa de Perfil e Condições de Trabalho do Corpo Docente faz parte desse conjunto de levantamentos. Ela acontece desde 2005 e tem como objetivo determinar o perfil socioeconômico e profissional dos docentes da instituição. Além, é claro, de servir como um canal de comunicação e uma ferramenta para mensurar a satisfação dos professores com as condições de trabalho na Uninter.

Este ano (2020), 54,3% do corpo docente responderam à pesquisa – a participação é voluntária e sem identificação do respondente. Hélio Lechinewski, presidente da CPA, conta que historicamente essa taxa de adesão se mantém em torno de 50% e 60%, um índice de participação que garante bons resultados.

“Essa representatividade permite que se tenha uma amostra confiável, acima de 95% de nível de confiança e com menos de 5% de margem de erro, o que nos dá subsídios para que se atinja plenamente o objetivo pretendido”, esclarece ele.

Por que essa avaliação é importante?

 Assim como as pesquisas realizadas com os alunos, as avaliações com os professores servem para fornecer informações aos gestores, ajudando-os a pensar em diferentes abordagens e ações para melhorar a qualidade do ensino. “Isso é de suma importância para verificar a efetividade das ações já adotadas e avaliar a existência de oportunidades de melhoria, para favorecer a atuação e o bom desempenho dos professores”, explica Lechinewski.

Pode não parecer, mas tudo isso está, também, ligado à relação com os estudantes. Ao pensar em aperfeiçoamento para a atuação dos educadores, a Uninter também está pensando na qualidade da educação que seus alunos irão receber e como ela chegará até eles, desde a infraestrutura física até os materiais online e equipamentos para atividades práticas, independente da modalidade de ensino ser presencial, semipresencial ou a distância.

Alguns resultados

O levantamento conta com informações dos últimos 12 meses de atuação dos docentes, até a data de vigência da pesquisa, realizada entre 28.mar.20 e 12.abr.20. A coleta de dados aconteceu por meio do Univirtus, Ambiente Virtual de Aprendizagem da Uninter.

A pesquisa foi composta por 8 blocos, divididos em Perfil socioeconômico, Perfil profissional, Atuação na Uninter, Ambiente e condições de trabalho, Infraestrutura, Serviços institucionais, Comunicação e informação e Corpo discente, além de uma questão aberta.

Em relação aos resultados obtidos, Lechinewski declara que é perceptível, em comparação com o ano anterior, uma estabilidade nos indicadores tanto de perfil quanto de satisfação dos docentes. “As mudanças mais significativas nas características dos professores são que no seu conjunto eles apresentam um maior tempo de atuação na Uninter, bem como um maior tempo de experiência no ensino superior”, comenta.

O presidente da CPA ainda afirma que há um claro aumento no tempo de dedicação dos professores à instituição e uma ampliação na forma como atuam, não apenas em sala de aula, mas também em atividades acadêmicas e administrativas.

A pesquisa garante o anonimato do docente, para garantir maior liberdade para as respostas. O reconhecimento se dá de forma espontânea. “A Uninter é uma empresa educacional de excelência, e é uma grande motivadora para que todos sigam adiante em suas carreiras. Oferece muitas oportunidades a todos”, pontua um professor que participou da pesquisa.

“Em meu caso específico, o coordenador Cícero Bezerra aumentou minha carga horária para oito horas, e assim ingressei no mestrado acadêmico na Pontifícia Universidade Católica em Curitiba. Além do mais, a Uninter nos oferece graduações para que sigamos nos estudos sem custo. Atualmente finalizo Filosofia e ingressei na Sociologia recentemente”, comenta o professor.

Sobre a satisfação dos educadores, é possível observar que houve um ganho em relação à pesquisa anterior. Lechinewski atribui esse resultado a melhoras na infraestrutura para a equipe docente. Mas isso não impede que novas sugestões e demandas apareçam.

“Amo trabalhar na Uninter! O ambiente é bom, os colegas de trabalho são ótimos profissionais e pessoas, nosso gestor é eficiente e comprometido! A única coisa que acredito que poderia melhorar é o espaço para alimentação no campus da Treze de Maio [Em Curitiba (PR)]”, diz um(a) docente.

“Gosto demais de trabalhar nesta instituição. As relações humanas são muito boas. Como utilizamos espaços compartilhados, em algumas situações há necessidade de adaptação à situação. Não é falta de esforço em melhorar ou empenho da equipe em realizar as reformas”, diz outro(a). E faz uma sugestão: “Creio que precisamos trazer pesquisadores para ampliar nossos conhecimentos. Os apoios são sempre bem-vindos”.

Aqui você encontra a pesquisa completa da CPA. No gráfico abaixo, sintetizamos alguns resultados do perfil dos docentes.

“>

Embed HTML not available.
Autor: Julia Siqueira - Estagiária de Jornalismo
Edição: Mauri König
Revisão Textual: Jeferson Ferro


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *