LITERATURA

A interação entre sujeitos para compreensão da música

Para o filósofo russo Mikhail Bakhtin (1895-1975), em todo ato realizado pelo homem existe um sujeito em relação com outros sujeitos, num diálogo constante. Este diálogo entre sujeitos em relação de alteridade determina a realização de qualquer ato cultural em nossa sociedade e, dentre eles, o ato de criação e apreciação da música.

Foi partindo do princípio no qual a interação entre os sujeitos pode ser aplicada à compreensão da música que o escritor Ricardo Petracca, coordenador do curso de licenciatura e bacharelado em Artes Visuais da Uninter, escreveu o livro “Música e alteridade: uma abordagem bakhtiniana”, pela editora Appris. O lançamento da obra será nesse sábado (8) no Centro Cultural Banco do Brasil, em Belo Horizonte (MG).

O livro discute inicialmente os conceitos relacionados à filosofia de Bakhtin para depois identificar as relações de alteridade presentes na música produzida em dois contextos de comunicação diferentes: num ritual indígena e na música de concerto.

É essa compreensão da música, com base na alteridade dialógica de Bakhtin, que norteará a palestra que ocorrerá no domingo (9), também no Centro Cultural Banco do Brasil em Belo Horizonte. A palestra será ministrada por Petracca e terá como tema “O diálogo musical: do ritual indígena às salas de concerto”.

Serviço

Lançamento do livro Música e alteridade: uma abordagem bakhtiniana

Dia: 8 de setembro

Horário: 15h30

Local: Belo horizonte (MG) – Centro Cultural Banco do Brasil

Palestra O diálogo musical: do ritual indígena às salas de concerto

Dia: 9 de setembro

Horário: 17h

Local: Belo horizonte (MG) – Centro Cultural Banco do Brasil

Embed HTML not available.
Autor: Igor Ceccatto - Estagiário de Jornalismo
Edição: Mauri König


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *