FORMAÇÃO CONTINUADA

Professores da Uninter compartilham saberes com rede de ensino da Lapa

Mais do que ensinar através de conteúdos programados, o educador tem o papel de estimular o desenvolvimento pessoal. Afinal, nas palavras do grande filósofo Immanuel Kant: “É no problema da educação que assenta o grande segredo do aperfeiçoamento da humanidade”.

Aperfeiçoamento esse que tem sido cada vez mais buscado pelos professores através da formação continuada. E para quem quer se manter atualizado no que se refere ao ensino, a Uninter dá todo o suporte.

A Secretaria Municipal de Educação da Lapa (PR) convidou a Escola Superior de Educação (ESE) da Uninter para participar da sua semana acadêmica. Em parceria com o polo de apoio presencial da instituição na Lapa, a equipe do município promoveu no dia 6 de fevereiro um encontro com oficinas pedagógicas para mais de 400 professores.

As oficinas abrangeram a educação infantil e a básica, com temas que contemplaram o campo da experiência (traços, sons, cores e formas etc.), contação de histórias, literatura, música e movimento na educação infantil. “Também trabalharam com os temas da alfabetização, artes, gêneros textuais e formação do leitor nas séries iniciais”, relata a tutora de Pedagogia da ESE, Karlla Coelho.

“A oficina ‘Formação de leitores’ contribuiu para que eles refletissem sobre a leitura na escola. De uma forma geral, a sociedade entende que a leitura é importante, porém, formar alunos como leitores críticos é um desafio”, explica Daíne Cavalcante, professora do curso de Letras.

Ela explica que o momento foi de discussão e troca de ideias para entender as possibilidades nesse meio. Já a docente Cláudia Rosa, que ministrou a oficina “Alfabetização e Letramento”, fala sobre o objetivo de fortalecer o conhecimento sobre os processos referentes ao tema, por meio de estratégias diferenciadas.

“Além da fundamentação teórica sobre o gênero textual informativo, os professores conheceram as estratégias para criar um livro alfabético em grupos por meio do sorteio de diferentes tópicos do currículo escolar”, complementa Daíne.

O campo da educação infantil ficou com a professora Vanessa Queirós, que trouxe ideias para atividades que possam atender à nova Base Nacional Comum Curricular (BNCC). “Fizemos vivência com circuito psicomotor, materiais sensoriais e auditivos. Os professores participam de forma bastante entusiasmada e agradeceram pelas ideias e as trocas significativas realizadas”, conta.

“Com essa rica experiência, os professores da Escola Superior de Educação puderam estreitar os laços da universidade com a escola e proporcionar momentos de discussão e formação humana”, completa a tutora Karlla.

 

Embed HTML not available.
Autor: Jaqueline Deina - Estagiária de Jornalismo
Edição: Mauri König / Revisão Textual: Jeferson Ferro
Créditos do Fotógrafo: Arquivo pessoal Karlla Coelho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *