Os desafios do ensino num mundo complexo

Autor: Vitor Diniz - Estagiário de Jornalismo

Na dinâmica de ensino-aprendizagem, os desafios crescem assim como as oportunidades que nascem com a mudança do cenário tecnológico. Os professores se deparam com perfis de alunos cada vez mais distintos, e diante disso precisam traçar novas estratégias de ensino.

Para tratar da complexidade da educação na atualidade, a Uninter iniciou a Semana Acadêmica de Docentes na última segunda-feira (27.jan.2020) com uma palestra de Eduardo Carmello, diretor da Entheusiasmos Consultoria.

Carmello, que começou sua carreira como professor de educação física, é um estudioso do VUCA, uma abreviação em inglês que significa “volátil, incerto, complexo e ambíguo”. O termo é empregado para descrever o mundo atual. A palestra foi baseada nesses conceitos com o intuito de explicar para os professores as bases para novas estratégias de ensino.

“É importante que o professor tenha autonomia, mas é uma autonomia estratégica. Ele deve estar alinhado ao projeto político-pedagógico, aos valores, aos princípios e às práticas pedagógicas. A palestra é um alinhamento interno, o professor não vai ser provocado, mas vai ser convidado a uma reflexão, a assumir um papel de mediador” salienta Carmello.

“É uma mudança de paradigma em que a gente não ensina mais o aluno as ser um trabalhador, e sim a ser um empreendedor. Todos os modelos de evolução, nessa nova organização, nessa nova economia digital, mostram que o aluno ultrapassa o conteúdo. É mais do que apenas saber, ele tem que saber aplicar e saber, gerar valor a partir disso,” explica o palestrante.

A apresentação foi dividida em três categorias: inovação, liderança e gestão com transformação. Para Carmello, o futuro da aprendizagem nas instituições depende da criatividade de quem trabalha com a educação.

Ele enfatizou que as instituições devem estar focadas em saber como conduzir o processo de ensino na era digital, pois em um futuro próximo haverá uma grande mudança na aprendizagem no mundo, e essa transformação se chama heutagogia. A heutagogia é um processo educacional de autoaprendizagem, em que o aluno busca por si só os conteúdos a serem estudados. Portanto, mais do que nunca, é preciso adaptar-se a este novo cenário.

 

Embed HTML not available.
Autor: Vitor Diniz - Estagiário de Jornalismo
Edição: Mauri König
Revisão Textual: Jeferson Ferro
Créditos do Fotógrafo: Renan Vasconcelos - Estagiário de Jornalismo


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *