Licenciatura em Física torna realidade o sonho da docência

Autor: Nayara Rosolen - Jornalista

Motivados por um desejo pessoal e também por uma vontade profissional, Willian dos Santos de Brito, de Campina Grande do Sul (PR), e Franciele Mara Ramalho, de Rio Negro (PR), compartilhavam um sonho em comum: ser professores.

Embora distantes geograficamente, os dois optaram e tiveram a oportunidade de obter a mesma formação de qualidade, graças aos mais de 700 polos da Uninter espalhados por todo o Brasil. O curso escolhido pelos profissionais foi o de Licenciatura em Física, avaliado com nota 5, conceito máximo do Ministério da Educação (MEC), em 2022.

Para Franciele, a conquista da graduação significa “orgulho e a sensação de que escolheu a instituição certa”. Willian complementa com a “qualidade no ensino e material didático”. O licenciado se formou em setembro deste ano, e a estudante está no último período, prestes a entregar o trabalho de conclusão de curso (TCC).

Willian, que já possuía a licenciatura em Matemática, finalizada em 2020, diz que devido à “experiência fantástica”, não parou de estudar e já cursa uma nova graduação na instituição, o bacharelado em Engenharia Civil. Curso que já havia iniciado há alguns anos, mas que não conseguiu dar seguimento devido à dificuldade financeira pela qual passou na época e precisou trancar.

Com uma família que já atua na construção civil há décadas, Willian também trabalhou como auxiliar de engenharia na MRV, durante alguns anos na parte de treinamentos, algo que também o motivou a lecionar. Atualmente, o professor ministra aulas de Física e Matemática tanto no setor privado quanto na rede pública, no ensino fundamental, médio e EJA.

Além da flexibilidade de horários que a educação a distância permite, o profissional ressalta o sistema da Uninter,  com aulas que “são bem objetivas e não são cansativas” de assistir.

Já Franciele, que é auxiliar no Ministério Público de Santa Catarina, fez o caminho contrário. Primeiro a profissional se graduou em Engenharia Mecânica, em 2017. Teve a oportunidade dar aulas de Física e Matemática no Estado de Santa Catarina e Paraná, e depois em cursinhos. Por isso, decidiu “oficializar a profissão” com a graduação de Licenciatura em Física.

A estudante conta que um fator diferencial na formação foram “os livros da parte da história da educação no Brasil, bem como os artigos de pedagogos e filósofos. Um dos conteúdos que mais gostei de aprender foram as teorias de aprendizagem. Este conhecimento propicia o entendimento de várias facetas da sociedade, auxiliando não só na prática pedagógica, mas também no cotidiano”, afirma.

Um ponto bastante elogiado pelos profissionais também é o atendimento de qualidade, tanto dos polos quanto do setor administrativo da Uninter, sempre solícitos.

 

Graduação nota máxima

A coordenadora do curso, Flavia Sucheck, afirma que a nota máxima é resultado de um trabalho coletivo que contempla a qualidade do corpo docente, a organização da reitoria, a infraestrutura institucional e a dedicação de cada colaborador da Uninter.

“Fico muito feliz com o reconhecimento dado a tanto trabalho. É uma alegria saber que coordeno um curso de excelência, que forma professores de Física para todo o Brasil. Almejamos formar professores que possam fazer a diferença em sala de aula, queremos que nossos estudantes possam dar condições aos futuros alunos para que usem o conhecimento da Física na tomada de decisões na sociedade”, salienta.

Segundo Flavia, todo o conhecimento adquirido e desenvolvido parte de metodologias contemporâneas, além de atividades práticas direcionadas para a futura atuação como professor, pautadas em temáticas de relevância social.

“O curso possibilita que o estudante acompanhe o professor em laboratório de forma síncrona. Um dos nossos diferenciais se refere ao arsenal tecnológico que possuímos. A condução de nossos processos avaliativos, da realização de estágios e das atividades extensionistas ocorre de forma inovadora, o que foi muito elogiado pelos avaliadores do MEC”, garante a coordenadora.

Willian conta que no auge da pandemia em 2020, teve a oportunidade de colocar em prática os ensinamentos da Uninter, tomando como base as aulas gravadas dos professores e usando o mesmo conceito para não deixar as próprias aulas que ministra cansativas. O laboratório portátil individual que recebeu durante a graduação para as práticas, hoje também é utilizado nas aulas do dia a dia.

“O colégio privado no qual trabalho passou por uma reestruturação com tecnologia, participei e participo deste projeto até o momento, onde tenho a oportunidade de aulas ao vivo no Youtube no período de vestibulares e Enem. No início da pandemia comecei com gravações de videoaulas e logo na sequência para aulas ao vivo”, conta o professor.

No cargo que possui hoje, Franciele afirma que o curso da instituição colabora muito na “eficácia na resolução de problemas”. A estudante também diz que ficou “muito encantada com a área de pesquisa”.

“Fiz meus estágios em iniciação científica, pretendo voltar meus estudos para esse campo”, conclui.

Com uma pós-graduação em Atendimento Educacional Especializado, Willian quer realizar mais especializações nas áreas de Física e Engenharia Civil. Assim como o mestrado, para lecionar no ensino superior.

Incorporar HTML não disponível.
Autor: Nayara Rosolen - Jornalista
Edição: Larissa Drabeski
Créditos do Fotógrafo: Pexels e arquivo pessoal


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *