INTEGRAÇÃO CRIATIVA

Kriaton, maratona da Politécnica teve desafios e atividade social

A Escola Politécnica da Uninter promoveu no mês de maio a primeira maratona criativa para alunos, a Kriaton. Estudantes dos cursos de Engenharia da Computação, Engenharia Elétrica, Engenharia da Produção, Análise e Desenvolvimento de Sistemas e de Gestão da Produção participaram nos dias 2 a 4 de maio de uma gincana. Dez equipes foram formadas pelos professores e o objetivo das dinâmicas entre outros, foi de promover a integração entre os alunos dos diferentes cursos.

“A ideia é fazer com que eles [os alunos] possam trabalhar em equipes que desconhecem, além de realizar uma série de tarefas técnicas que normalmente não encontrariam em sala de aula”, diz a responsável pelos eventos e professora da Escola Politécnica, Dayse Mendes. Essa é a primeira maratona criativa da Escola Politécnica, e a intenção é que o evento aconteça anualmente durante o primeiro semestre de aula, já que no segundo semestre acontece o simpósio.

A gincana aconteceu durante no período da noite, no horário de aula dos alunos, das 19h às 22h30. A primeira noite da Kriathon já começou agitada. Os estudantes tiveram de apresentar a criação da identidade das equipes, grito de guerra, logomarca, mascote e camiseta que desenvolveram durante a primeira hora de atividades – a tarefa já valia pontuação.

Outros exercícios foram jogos de raciocínio lógico, torre de papel, paraquedas de ovos, motor magnético, e sucata eletrônica, nesta última, as equipes tiveram duas horas para desmontar o máximo possível uma sucata eletrônica (em peso e valor). A tarefa teve cunho socioambiental.

“Esse tipo de sucata pode ser vendido e quanto mais limpa e desmontada estiver, mais o valor alcançado”, explica a professora Dayse Mendes. O valor arrecadado foi de R$ 800, repassado ao Instituto IBGPEX, braço de responsabilidade social do Grupo Uninter.

Os alunos que participaram da Kriathon todos os dias receberam 9 horas complementares e a equipe vencedora, um ponto em cada uma das disciplinas do semestre que está cursando. O aluno do primeiro período de Engenharia da Computação Yuri Antônio faz parte da equipe vencedora. “O maior desafio foi a atividade do motor eletromagnético, foi muito difícil fazer o motor funcionar. A gente teve que ajustar nos mínimos detalhes, mas aprendi exatamente como funciona o eletromotor na prática mesmo”, comenta o estudante.

Embed HTML not available.
Autor: Letícia Costa – Estagiária de Jornalismo
Edição: Mauri König
Créditos do Fotógrafo: Letícia Costa - Estagiária de Jornalismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *