Jovens põem as mãos na terra por um mundo sustentável

Autor: Evandro Tosin - Estagiário de Jornalismo

A formação de profissionais conscientes e atentos às questões sociais e ambientais também é uma etapa importante do compromisso com os 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas.

Por isso, estudantes do curso de Administração da Uninter estão realizando um projeto social, construindo uma horta orgânica e um sistema de irrigação na Associação Cristã de Assistência Social (ACRIDAS), instituição do terceiro setor que faz o acolhimento de crianças e adolescentes em condição vulnerável e risco social (vítimas de abuso, tortura, negligência e abandono).

Os estudantes envolvidos no trabalho voluntário são Beatriz Vieira, Marcelo Alves, Marcelo Mateus, Emanoelli Nogarolli, Alyson Ramos, Tatiane Gomes e Maiko Grochovski. Dentro da Uninter, o projeto é orientado pelo professor Júlio Bernardelli, da Escola de Gestão, Comunicação e Negócios. Aos sábados os integrantes da equipe se reúnem para dar andamento ao projeto da horta orgânica.

“Para o sistema de irrigação, conseguimos doações de pessoas e lojas que a gente conhecia, falamos sobre o projeto e eles doaram produtos, fizemos rifas e estamos vendendo”, diz Beatriz. Ela ainda comenta que se reuniu com Mateus Tomio, empreendedor responsável pela “Start-up Minhorta”, e ganhou mudas para o projeto da horta orgânica.

Ângela Paula, coordenadora da captação de recursos da ACRIDAS, agradeceu pelo apoio dos alunos do 3º período de Administração. “Os alunos da Uninter estão dando continuidade ao trabalho da horta orgânica e da cisterna, que está quase pronta. Acreditamos nesse projeto e precisamos desses parceiros do bem, jovens talentosos que irão fazer a diferença para o nosso mundo. A ACRIDAS tem uma responsabilidade social e ambiental”.

Óleo reciclado vira dinheiro

Outro projeto da ACRIDAS é oÓleo no Lugar”, que tem o objetivo de reciclar o resíduo de óleo de cozinha produzido por estabelecimentos comerciais, refeitórios e residências. Com isso, o material reciclado é convertido em recursos financeiros para a instituição, com o apoio da Sanepar: cada litro de óleo descartado corretamente gera R$ 1,00. Os futuros administradores também estão colaborando nesse projeto.

Segundo a Associação do Produtores de Biodiesel do Brasil (APROBIO), o óleo descartado na rede de esgoto aumenta o custo de tratamento da água em 45%. De acordo com a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (SABESP), uma quantidade de 50 mg/l de óleo de fritura é suficiente para poluir 25 mil litros de água.

Lixo do bem

Outra ação da instituição para a qual os estudantes estão contribuindo é o “Lixo do Bem”, que busca conscientizar a população sobre a forma correta de descartar o lixo eletrônico. Dados divulgados pela The Global E-waste Monitor 2017 revelam que 44,7 milhões de toneladas de lixo eletrônico foram produzidos no mundo em 2016.

Segundo o relatório, é possível construir 4,5 mil torres Eiffel com a quantidade de equipamentos descartados: baterias, televisões, celulares, computadores e monitores.

Os recursos financeiros gerados por essa coleta são empregados para a manutenção de projetos nas áreas de esporte, lazer, educação, cursos de especialização e técnicos para as crianças acolhidas.

Como ajudar a ACRIDAS?

Rua Eduardo Geronasso, 1782 – Bacacheri – Curitiba (PR). Fone: (41) 3523-5610.

Ou fale com os estudantes da Uninter: Beatriz Vieira (41) 99503-7239 e Emanoelli Nogarolli (41) 99711-8276.

Embed HTML not available.
Autor: Evandro Tosin - Estagiário de Jornalismo
Edição: Mauri König
Revisão Textual: Jeferson Ferro


1 thought on “Jovens põem as mãos na terra por um mundo sustentável

  1. São essas atitudes que fazem com que as pessoas vejam o mundo com os olhos do futuro, no contexto de que vivemos temos que dar valor as coisas que se renovam com atitudes simples mas com enorme inpacto social. Parabéns a os alunos que fazem parte desse lindo projeto, espero que em nosso polo também possamos fazer atividades dessa magnitude parabéns

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *