Ética e responsabilidade social: requisitos básicos da atividade empresarial


Ainda é comum a dificuldade de se definir o conceito de ética, que é facilmente confundindo com outros termos de natureza semelhante, como é o caso de ‘moral’, por exemplo. Por mais que sejam conceitos próximos, há características que os distinguem um do outro: a ética não se resume apenas a assuntos morais, ela representa a busca por uma forma justa e equilibrada de conviver em sociedade.

Enquanto a moral diz respeito aos costumes e hábitos que são aceitos por um determinado grupo social, a ética é vista como uma ciência que possui como objeto a moral. Ela promove a reflexão sobre os costumes, e também sobre o comportamento humano de forma mais geral.

Além desses conceitos, temos também a lei, que representa os parâmetros definidores de tudo o que é permitido, proibido ou obrigatório. A ética, nesse sentido, também serve para fundamentar o aparato legal, mas às vezes servirá para criticar certas regras.

Por esse motivo, esse conceito é muito valorizado na sociedade, seja no ambiente profissional ou pessoal. O professor Mário Sérgio Cunha Alencastro, do Mestrado em Educação e Novas Tecnologias da Uninter, ministrou em novembro uma sobre o tema. Durante sua fala realizada na Associação das Empresa da Cidade Industrial de Curitiba (AECIC), Alencastro refletiu sobre o conceito de ética e a questão da responsabilidade social que as organizações têm para com a sociedade e com as pessoas que trabalham nelas.

“Nós enfatizamos muito que a empresa precisa assumir alguns compromissos para com as pessoas, agir de forma correta com os clientes, fornecedores”, diz o professor. Além disso, ele também falou sobre o stakeholder, termo técnico que busca entender as expectativas de todos os públicos que interagem com as empresas.

“Com toda essa crise e corrupção envolvendo empresas nacionais e multinacionais estrangeiras, as organizações estão mais preocupadas com códigos de conduta, transparência e em apresentar um sistema de governança, mostrar o quanto estão agindo de forma correta”, explica.

Assuntos como o mercado, políticas corporativas, assédio moral, cultura organizacional e desenvolvimento sustentável também foram abordados. Além disso, Alencastro comentou sobre como a boa reputação de uma empresa hoje pode acabar em instantes por causa das mídias sociais.

“O comportamento ético é uma exigência da sociedade, hoje muito ligado com o capital intangível da empresa e sua reputação. Hoje ninguém faz negócios com uma empresa que está com o nome sujo”, explica.

Procurar atingir os resultados organizacionais respeitando as pessoas é crucial, mas é também importante cuidar da parte ambiental, que muitas vezes é esquecida. O descuido de uma empresa neste quesito pode causar sérios danos, gerando impacto no meio ambiente e manchando o nome da empresa.

Edição: Mauri König / Revisão Textual: Jeferson Ferro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *