Arquivo pessoal

Educação a distância ajuda pessoas mais velhas a conquistar a formação superior

Autor: Bárbara Possiede - Estagiária de Jornalismo

Concluir o ensino médio, iniciar uma graduação e conseguir um emprego logo depois de formado pode ser o sonho de muita gente. Mas a verdade é que não existe momento certo para cada uma dessas etapas, cada um segue sua própria história. Alguns se formam aos 22, outros só vão buscar uma faculdade quando já estão no mercado de trabalho, e existem aqueles que resolvem retomar os estudos depois dos 50 anos de idade.

Em 2017, segundo levantamento realizado pela plataforma Quero Bolsa, com base no Censo de Educação Superior, cerca de 73 mil alunos com mais de 50 anos ingressaram no ensino superior no Brasil, um número quase 74% maior que o de 2010.

Este é o caso de Alceu Benedette, que aos 58 anos está cursando sua primeira graduação, em Gestão Comercial, no polo de apoio presencial da Uninter em Valinhos (SP). “Eu não tive a oportunidade de estudar quando era jovem. Entre trabalhar e estudar, fui obrigado a optar pelo trabalho. Hoje, com a vida mais estabilizada, decidi que era hora de iniciar uma faculdade, com o objetivo de enriquecer meus conhecimentos”, explica.

Alceu é dono de uma empresa de peças para frigoríficos avícolas e optou pela Gestão Comercial para aprimorar seus conhecimento e poder aplicar em sua empresa as técnicas aprendidas no curso.

Ele conta que atua no mercado há mais de 25 anos, mas tudo começou quando trabalhava como vendedor iniciante em uma outra organização. Durante as visitas que realizava aos frigoríficos, com o objetivo de vender depenadores de borracha para o abate de frango, ele sempre era questionado sobre peças específicas com as quais sua empresa não trabalhava. Foi reconhecendo essa demanda que ele teve a ideia de abrir seu próprio negócio.

“Atualmente, somos uma empresa de revenda de peças e concorremos com grandes companhias do setor. Durante essa caminhada, superamos inúmeras dificuldades comerciais e financeiras. Hoje em dia, somos reconhecidos pela qualidade dos nossos produtos e pelo ótimo atendimento oferecido aos nossos clientes”, revela o proprietário.

Com a rotina de trabalho, Alceu revela que encontrou na educação a distância a oportunidade para retomar os estudos, devido à flexibilidade de horários. Mas se engana quem pensa que a trajetória até o diploma é fácil. Ele confessa: “no começo, me senti um pouco perdido, pois fiquei muitos anos sem estudar”. Mas afirma que por ter se identificado com o curso, tem se empenhado bastante: “com ajuda dos tutores me empolguei e todos os dias reservo algumas horas para me dedicar aos estudos”.

Assim como para Alceu, a modalidade a distância tem se apresentado como alternativa aos com mais idade que buscam encaixar o estudo em suas rotinas. Oferecendo liberdade de horários e de local de estudo, o ensino a distância está abrindo portas para uma geração que até então não imaginava ingressar no ensino superior. O Censo da Educação Superior aponta que a média de idade dos matriculados nos cursos de graduação é mais elevada nos cursos a distância (33 anos) do que nos presenciais (26 anos).

Seja para mudar de profissão, manter a mente ativa ou se realizar profissionalmente, diversos motivos levam brasileiros à retomada dos estudos em qualquer idade. Alceu deixa um recado: “Nunca é tarde demais para voltar a estudar, pois o estudo abre portas, quando estudamos com dedicação, temos milhares de oportunidades para aproveitar”.

Embed HTML not available.
Autor: Bárbara Possiede - Estagiária de Jornalismo
Edição: Mauri König
Revisão Textual: Jeferson Ferro


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *