É pela dúvida que se chega às descobertas


Desde criança questionamos o porquê das coisas, o que não é diferente ao realizar uma pesquisa científica. Carl Sagan, Neil Tyson e Brian Cox, por exemplo, tornaram-se cientistas de renome a partir de dúvidas e inquietações que os levaram a grandes descobertas. Alunos dos cursos da Escola Politécnica da Uninter foram instigados a seguir os passos dos grandes pesquisadores em encontro que discutiu o método científico. A palestra, realizada no último dia 14 no auditório do campus Garcez, foi ministrada pelo professor Vinicius Borin.

O método científico é usado para encontrar uma resposta a um problema de pesquisa e, com ela, o pesquisador valida a sua teoria. Mas, para isso, deve-se seguir seis passos pré-estabelecidos: observar e formular perguntas, pesquisar, criar uma hipótese, testar a hipótese (experimento), concluir (verdadeiro ou falso) e divulgar os resultados.

Professor de Engenharia, Vinicius Borin explica que a partir da aplicação do método é produzido um documento científico (relatório, artigo), que será referência para outros pesquisadores. “É de suma importância que um profissional de qualquer área saiba produzir um documento científico”, diz Borin.

Estudante do 6º período de Engenharia Elétrica da Uninter, Leonardo Amaral diz que a teoria é essencial porque a partir dela é possível ter fundamentação e transformar um projeto em algo físico. Leonardo criou um projetor a laser que é capaz de transformar figuras digitais em analógico.

A dupla Anderson Stronoga e Ricardo Kondageski, estudantes do 2º período de Engenharia da Computação, criou um aplicativo no celular que pode acender e desligar lâmpadas em uma casa por comando de voz. “Foi fundamental pesquisar o porquê, e ir atrás do conhecimento”, comenta Anderson. Para Ricardo, foi importante uma aula de PBL que tiveram para ter direcionamento no projeto e seguir o passo a passo do método científico.

“Os alunos se instigam a fazer mais pesquisas, projetos voltados para a engenharia e serem melhores profissionais no futuro”, pontua Borin. O encontro acontece para despertar desafios e motivar os estudantes em pesquisas científicas, pois, como dizia o filósofo René Descartes, ”somente através dúvida o filósofo chega a descoberta de sua própria existência como substância pensante”.

Edição: Mauri König

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *