SUPERAÇÃO

Da copa para a sala de aula, Cida enfim é pedagoga

O nome de Maria Aparecida Batista reverberou no salão do Restaurante Dom Antônio, em Santa Felicidade, o bairro gastronômico de Curitiba (PR). Era noite de 22 de março e chegara o momento de Cida encaminhar-se ao palco, onde receberia o diploma de pedagoga, materialização de um sonho que soava improvável quatro anos antes.

Cida era uma das 16 alunas e alunos de Pedagogia a receber o canudo das mãos do reitor da Uninter, Benhur Gaio, e da coordenadora do curso, Gisele do Rocio Cordeiro. Essa relação de Cida com a Uninter começou 8 anos antes, quando ela teve de tomar uma decisão.

Naquele ano, Cida começou a trabalhar no setor de limpeza do campus Carlos Gomes da Uninter, em Curitiba. Trabalhou ali por 10 meses, até ser promovida a copeira, passando por outros três locais de trabalho do Grupo Uninter, o edifício Corporativo, a sede Araucária e o campus Divina Providência, onde começou a estudar Pedagogia.

De origem humilde, com três filhos, Cida teve de pensar bem antes de aceitar o emprego na Uninter, pois naquela época estava concluindo a Educação de Jovens e Adultos (EJA) e não sabia se daria conta do emprego, da casa e dos estudos. Mesmo tendo concluído o ensino médio, Cida sentia que ingressar no ensino superior seria algo improvável.

Por ser colaboradora na Uninter, tinha direito a um desconto de 60% a 80% em qualquer curso. Mas ainda assim, pelo fato de ter de sustentar a família, a conta não fechava. No começo de 2014, nos corredores do campus Divina a colaboradora recebeu a notícia de que havia ganhado uma bolsa de 100% para cursar Pedagogia. “Era um sonho de criança ser professora”, diz ela, que  lembra da emoção ao receber a notícia.

Trabalhando no período da manhã e estudando à noite, a maior dificuldade foi se adaptar às novas tecnologias. “Sempre tive disposição de aprender, mas uma dificuldade que tive no começo foi a tecnologia, pois não é do meu tempo”. Ela diz que durante os quatro anos de curso teve de se entender com o Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA), a área de estudo em que são disponibilizados todos os conteúdos para estudo.

“No final do curso, conversando com meu chefe ele ficou assustado ao saber que já tinham se passado os quatro anos de graduação”, relata Cida. Assim, conseguiu realizar aos 62 anos o sonho que alimentava desde criança. Cida pontua que a persistência e a vontade de alcançar algo ajudaram nessa caminhada até a formatura. “Vale a pena sonhar, correr atrás do sonho”, diz.

 

Embed HTML not available.
Autor: Sérgio Junior - Estagiário de Jornalismo
Edição: Mauri König / Revisão Textual: Jeferson Ferro
Créditos do Fotógrafo: Sérgio Junior – Estagiário de Jornalismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *