Catarinenses são apresentados ao inovador kit de comunicação


 

Heloisa Alves Ribas – Estagiária de Jornalismo

Como aprender na prática quando o curso é a distância? Essa é uma pergunta natural para quem deseja iniciar uma graduação na modalidade EAD. Mas as eventuais dúvidas acabam tão logo o curso começa. Há diferentes recursos que tornam essa modalidade de ensino tão interessante quanto a presencial. Os alunos do curso de Jornalismo e de Publicidade e Propaganda da Uninter, por exemplo, receberão dentro de alguns meses um kit de comunicação para aplicar na prática o que estudam em casa em livros e pelo computador.

O kit foi apresentado nesta segunda-feira (5) pelo coordenador de Jornalismo, Guilherme Carvalho, a alunos de diferentes cursos oferecidos pelo polo Ingleses da Uninter em Florianópolis (SC). Diferencial inovador para os cursos de educação a distância, ele é composto por uma câmera fotográfica e filmadora 4K, gravador de voz, tripé, fone de ouvido e um pacote completo de softwares da Adobe. O kit será distribuído aos alunos a partir do segundo ano de curso e a primeira turma irá recebê-lo no primeiro quadrimestre de 2018.

Além da apresentação do kit, alunos e demais convidados que estiveram no polo em Florianópolis tiveram a oportunidade de discutir com coordenador e o professor do curso de Jornalismo Mauri König um tema atual e de grande importância não só para os jornalistas: as “fake news”. As notícias falsas sempre acompanharam o jornalismo, mas agora vêm sendo disseminadas na internet em maior intensidade devido ao acesso ilimitado de qualquer pessoa às redes sociais.

Os professores lembraram casos antigos, como o da Escola Base, e outros mais recentes, como de Andreas Von Richthofen, para exemplificar como o uso equivocado da informação, da falta de apuração das notícias, pode disseminar falsas verdades na internet, levando um grande número de pessoas a acreditar no que não é verdade. O debate no polo Ingleses incluiu ainda uma discussão sobre pós-verdade (sobre isso, leia aqui um artigo escrito pelo professor de Jornalismo da Uninter Jeferson Ferro).


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *