Quem se importa com isso?

Autor: Renan Vasconcelos - Estagiário de Jornalismo

No dia 19 de agosto comemora-se o Dia Nacional de Luta da População em Situação de Rua. Inspirados pela data, alunos e professores do projeto POP Rua da Uninter, que trabalha com a população de rua de Curitiba, criaram a campanha: Quem se importa?

O projeto foi criado por alunos e professores do curso de Serviço Social que estudam a situação da população de rua da cidade. Em seu trabalho, eles identificam várias situações pelas quais essas pessoas passam no seu cotidiano: a violência, o preconceito e os riscos que precisam enfrentar todos os dias. Além disso, os participantes do projeto analisam as ações populares e do poder público que buscam melhorar a situação dessas pessoas.

A campanha é voltada para o ambiente interno da Uninter e busca conscientizar os alunos, professores e funcionários para a situação desta população. O objetivo é lançar um olhar diferente sobre esta realidade que está tão próxima, porém ao mesmo tempo distante.

Até o fim do ano, o projeto abordará temas como: violência, dificuldade para conseguir emprego, o perigo para as mulheres que vivem nas ruas e as opções de atendimento a pessoas nesta situação. Essas pautas serão também temas de palestras para ampliar o conhecimento dos alunos sobre as pessoas que vivem à margem da sociedade.

Embed HTML not available.
Autor: Renan Vasconcelos - Estagiário de Jornalismo
Edição: Mauri König
Revisão Textual: Jeferson Ferro
Créditos do Fotógrafo: Arte Grafita e arquivo pessoal


1 thought on “Quem se importa com isso?

  1. Ótima iniciativa!
    Ainda hoje pensei nisso, a gente passa, aqui no centro de Curitiba, principalmente, por situações similares às da foto. Todos os dias, e acabam ficando “invisíveis” para nós. São pessoas extremamente carentes, muitas tomadas pelo vício e isolados de suas famílias. Rejeitados pela sociedade, que precisam de apoio e solidariedade, principalmente agasalhos, pois andam descalços em meio ao frio curitibano. Na minha empresa temos campanhas de arrecadação e voluntariado o ano todo a fim de minimizar o sofrimento desses desassistidos.
    Parabéns Uninter!
    Vamos olhar os outros de verdade e não passar do lado como se fossem um amontoado de panos jogados pelas ruas.

Deixe uma resposta para Harumi Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *