PROJETO TALENTOS

Quem é capaz de acabar com meus sonhos?

Autor: Igor Ceccatto - Estagiário de Jornalismo

O polo CIC da Uninter, em Curitiba (PR), teve no dia 8 de abril a primeira edição do “Projeto Talentos”, que convida acadêmicos para darem palestras, apresentando seus conhecimentos sobre temas diversos. Segundo a coordenadora técnica Karina Gomes Rodrigues, a resposta dos estudantes superou as expectativas. “Recebemos mais de 30 propostas de palestras voluntárias das mais variadas áreas de conhecimento”, afirma.

Ministrada pelo consultor e aluno de Gestão Comercial da Uninter Gabriel Soares Matos, a primeira palestra do projeto se chamou “Ser apenas vendedor, basta?”. Ele explorou a diferença entre um consultor de vendas e um vendedor. “O vendedor é apenas um entendedor do produto que tem o intuito de vender sem prestar auxílio, já o consultor de vendas tem como intuito solucionar problemas, acabar com as preocupações, oferecendo soluções e assessoria, trazendo assim tranquilidade ao seu cliente”, explica.

No decorrer do bate-papo, Matos trouxe à tona o conceito de proatividade. “Proatividade é comportamento decorrente de um estado de consciência, prontidão e atitude, que permite prever, reconhecer e assumir a responsabilidade de interferir e fazer com que as coisas aconteçam no tempo certo”, diz. Segundo ele, muitos confundem iniciativa com proatividade, mas os dois são bem diferentes. Enquanto a iniciativa é algo que surge no calor do momento, a proatividade é uma característica mais elaborada e que necessita de desenvolvimento.

Na hora de encerrar, a palestra ganhou um tom motivacional. Os participantes tiveram que responder à pergunta “Quem é capaz de acabar com meus sonhos?” Todos responderam que apenas nós mesmos acabamos com eles. Sobre os sonhos, Matos declarou que muitas vezes realmente não vai ser fácil, barreiras vão surgir, a vontade de desistir vai ser constante, mas que a vontade de vencer, de ser o melhor terá que ser mais constante ainda. “Por que ser o melhor? Um grande amigo meu já dizia que ‘o inimigo do bom não é o ruim; o inimigo do bom é o melhor’”, completa.

Matos diz que a palestra foi um sucesso: “O evento foi além das expectativas e a plateia participou de forma conjunta”. Ele também acredita que todos puderam perceber a importância da especialização na área comercial, que foi seu grande objetivo. Por fim, ele se colocou à disposição para contatos pelo e-mail [email protected].

Embed HTML not available.
Autor: Igor Ceccatto - Estagiário de Jornalismo
Edição: Mauri König
Revisão Textual: Jeferson Ferro
Créditos do Fotógrafo: Arquivo PAP/CIC


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *