ORATÓRIA

Para você falar tudo o que sabe sem nenhuma vergonha

Chega o dia da apresentação daquele projeto no qual você trabalhou por tanto tempo e agora seus superiores irão avaliar o quão relevante ele é para a empresa. É um momento decisivo para sua carreira. Como você lida com essa tensão? Sente-se preparado para o desafio?

Percebendo a necessidade dos alunos de cursos como Administração, Gestão Comercial e Ciências Contábeis da Uninter, o professor Júlio Bernadelli começou a ministrar no ano passado oficinas de oratória para ajudá-los a desenvolver suas habilidades de oratória, visando aquele momento especial em que o mercado de trabalho vai exigir deles a capacidade de articulação e expressão oral.

Essa construção começa na sala de aula, justamente onde os professores percebem a dificuldade de cada aluno. “A gente percebe, nos calouros principalmente, a grande dificuldade que eles têm de apresentar um trabalho”, explica o professor, que fala também que a reação é ainda pior quando eles entendem que precisam usar isso com frequência no mercado.

A oficina é dividida em duas etapas. A primeira é voltada para que o participante comece a trabalhar o autoconhecimento, quais seus medos, suas necessidades e como é a sua relação com as pessoas. Júlio explica que são ensinadas diversas técnicas, mas elas devem ser praticadas no dia a dia, pois os alunos não vão chegar a uma boa desenvoltura se perderem oportunidades por causa da timidez.

Depois da primeira etapa, os demais professores dos cursos já dão um feedback positivo a Júlio, mencionando que as apresentações de trabalhos tiveram melhoras perceptíveis e que os alunos afirmam estar aplicando os ensinamentos da oficina.

Para professora e coordenadora do curso de Gestão Comercial da Uninter, Mariana Monfort Barboza, esse tipo de conteúdo é fundamental, pois acaba despertando habilidades que não são trabalhadas especificamente em sala de aula, como por exemplo a comunicação e a relação interpessoal. “Os alunos se desinibiram em sala de aula, eles tiraram uma armadura e estão mais comunicativos, se apresentando sem vergonha de ir na frente da sala”, relata a professora.

Na segunda fase, o professor usa dinâmicas para ajudar os alunos a usar a voz com autoconfiança em situações reais. Em uma dessas dinâmicas, o professor convidou os participantes para uma brincadeira onde dizia frases do tipo “eu fico vermelho quando falo em público”. Os estudantes já estavam todos juntos, mas aqueles que se identificavam com aquela situação faziam uma espécie de novo grupo.

O objetivo é que as pessoas percebam que elas não estão sozinhas, que várias delas podem ter o mesmo medo e que isso pode ser compartilhado. Ele também usou exemplos de como expressões faciais e gestos podem falar mais do que muitas palavras e de como fazer o que gosta pode ser determinante para um bom trabalho.

Ao final da oficina, o aluno Leandro Gonçalves Cardoso, de Gestão Comercial, agradeceu a Uninter pela oportunidade de participar do evento e destacou a importância de atividades como essa na faculdade. “Pela correria do dia-dia você deixa de aproveitar vários momentos e oportunidades que tem, por causa de freios que você mesmo cria”, diz Leandro. O professor Bernadelli encerra a oficina com uma frase emblemática e motivadora: “Não tenha vergonha do que você é”.

Embed HTML not available.
Autor: Juliane Lima - Estagiária de Jornalismo
Edição: Mauri König / Revisão Textual: Jeferson Ferro
Créditos do Fotógrafo: Juliane Lima - Estagiária de Jornalismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *