Entre a educação a distância e a presencial, surge uma terceira opção: os cursos semipresenciais

(Foto: Alvaro Emilio Leite – Coordenador dos cursos semipresenciais)

A educação básica no Brasil, em sua maior parte, ocorre por meio da modalidade de ensino presencial, sendo a abordagem “tradicional” a metodologia de ensino mais privilegiada pela maioria das escolas.

Nessa metodologia, as aulas são expositivas e sem muita preocupação com o desenvolvimento de habilidades e competências que visam promover a autonomia do aluno. Entretanto, independente da metodologia empregada, no ensino presencial o aluno enxerga o professor como alguém que está ali para auxilia-lo em suas atividades, sanando dúvidas e passando orientações que visam contribuir para o seu crescimento. Além disso, os alunos podem contar uns com os outros e acabam construindo vínculos afetivos que muitas vezes se estendem pelo resto da vida.

Ao terminar o período de educação básica, muitos alunos precisam se dedicar ao trabalho, pois os que ainda não atingiram a maioridade estão na eminência de atingi-la. Esses alunos acabam por assumir novas responsabilidades em suas atividades cotidianas e o tempo para frequentar um curso superior presencial se torna insuficiente.

Nesse contexto, muitos optam por fazer um curso superior a distância, visando a possibilidade de frequentar a faculdade poucas vezes por mês e, assim, economizar tempo para os seus afazeres diários. Entretanto, a modalidade de ensino a distância (EAD) exige que os alunos possuam certo grau de independência e autodidatismo, competências que muitos não conseguiram desenvolver por estarem submetidos em níveis anteriores a um ensino maçante e pouco atrativo. O resultado é que muitos alunos não se adaptam à modalidade EAD e acabam por desistir do curso.

O método semipresencial, mesmo sendo considerado um curso a distância, surge como uma opção intermediária entre as modalidades de educação à distância e a presencial. O aluno UNINTER que fizer a opção por estudar neste método terá a disposição toda a estrutura e suporte oferecida pela modalidade EAD, ao mesmo tempo em que poderá contar com professores e tutores que o auxiliarão em suas atividades acadêmicas diárias e no desenvolvimento de projetos que tem por objetivo dar a ele uma visão holística da área do curso em que está matriculado. O aluno semipresencial precisa vir duas vezes por semana ao polo, sendo que a frequência é obrigatória e vista como uma estratégia para criar vínculos afetivos com professores e colegas.

Enfim, o método semipresencial uniu o que tinha de melhor da modalidade presencial com o que tinha de melhor da modalidade EAD para se tornar uma opção promissora para os alunos que desejam fazer um curso superior e não dispõem de muito tempo.

 

Embed HTML not available.


2 thoughts on “Entre a educação a distância e a presencial, surge uma terceira opção: os cursos semipresenciais

  1. Com O Centro Universitário UNINTER estou conseguido realizar sonhos na área do conhecimento, exemplo: Terminei quatro pós graduação, Tecnologia em Logística e estou estudando Administração bacharelato e Pedagogia licenciatura a distancia (EAD).E estou estudando Direito presencial. Meu alvo e objetivo e concluir esses cursos antes de completar 60 anos, agradeço a Deus e nossa querida instituição UNINTER.

  2. É muito legal saber que de certa forma, nosso ensino está adaptando-se ao nosso modo de vida, Foi por isso que com 36 anos decidi correr atrás deste sonho. Evidentemente que vou sofrer um pouco, pois com certeza estou preso aquele antigo sistema presencial do benéfico segundo grau. Espero me dar bem no EAD, e com isso compartilhar a minha experiência aliada de muita vontade de estudar. Só espero que o EAD não sofra discriminação por parte de empresas com visão unilateral, não obstante, dá-lhe EAD.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *