Encontro discute exoplanetas e a busca por vida fora da Terra

Autor: Bárbara Possiede e Juliane Lima – Estagiárias de Jornalismo

A cada dia novos planetas são descobertos fora do nosso sistema solar, os chamados exoplanetas. Em outubro de 2017, o Oumuamua, um objeto celeste alienígena, foi observado quando passava próximo ao Sol.

Essas e outras observações só foram possíveis com as novas tecnologias que têm surgido nos últimos anos. O que desperta o interesse de diversas pessoas, principalmente em relação à possibilidade de vida extraterrestre, um dos temas estudados pela astrobiologia, que se ocupa também da origem e evolução do futuro da vida no universo.

Foi visando apresentar o estado da arte destas pesquisas e observações para o público não especialista que a Uninter realizou, no dia 5.dez.2019, a palestra “Astrobiologia e Exoplanetas”, no campus Garcez em Curitiba (PR).

Para expor e comentar o tema, estiveram presentes dois convidados: o chanceler da Uninter, Wilson Picler, graduado em física pela UFPR e mestre doutorando no programa de engenharia elétrica; e o professor Germano Bruno Afonso, pós-doutor em astronomia pelo Observatoire de la Cote d’Azur, na França.

Segundo Picler, “um exoplaneta é um planeta que orbita uma estrela que não seja o Sol e, desta forma, pertence a um sistema planetário distinto do nosso”. Atualmente existem 3.696 exoplanetas identificados em 2.771 sistemas, e há mais 5 mil aguardando confirmação.

Já o professor Germano Bruno Afonso explica que a astrobiologia é a ciência que estuda as origens evolução, distribuição e futuro da vida no universo. “Abrange a busca de ambientes habitáveis em nosso sistema solar e em planetas ao redor de outras estrelas (exoplanetas)”, diz. Ele fala ainda que existe a Exobiologia, que busca vida extraterrestre.

A tecnologia usada para esses estudos consiste em um Satélite de Pesquisa de Exoplanetas em Trânsito, o TESS, lançado pela NASA em 18 de abril de 2018. Ele possui quatro câmeras específicas para captação de imagens, com visão ampla de 85% do céu, segundo o site CanalTech.

O TESS é sucessor da Sonda KEPLER, lançado pela NASA em 2009, equipada com um telescópio espacial, com a missão de procurar planetas semelhantes à Terra. Em 3 anos de atividade, o satélite detectou quase 5 mil planetas.

O assunto rendeu inúmeros comentários na live transmitida pelo YouTube, para que todos os alunos da Uninter por todo o país também tivessem acesso. Já está sendo programado um novo encontro para tirar as possíveis dúvidas.

O evento ainda contou com uma apresentação Cultural com os professores Alysson Siqueira e Jeimely Heep Bornhold do curso de licenciatura em Música da Escola Superior de Educação da Uninter.

Embed HTML not available.
Autor: Bárbara Possiede e Juliane Lima – Estagiárias de Jornalismo
Edição: Mauri König
Créditos do Fotógrafo: Pixabay e Juliane Lima


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *