Redes de computadores: excelência na preparação para desafios contemporâneos

Autor: Nayara Rosolen - Jornalista

Os desafios de conciliar os estudos com a carreira profissional e a idade já não são mais impedimentos para o sonho daqueles que desejam ingressar em um curso superior e que buscam por melhores oportunidades de trabalho e qualidade de vida. Willian Barboza da Silva, de 25 anos, e Raphael Moura Neto, de 53 anos, são prova disso.

Além do desejo de conhecimento e aperfeiçoamento contínuo, os dois têm na trajetória acadêmica o curso de Tecnologia em Redes de Computadores da Uninter, realizado na modalidade de educação a distância (EAD) e reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC) com nota cinco, a máxima concedida pelo órgão.

No último período da graduação, Raphael é vinculado ao polo de apoio presencial (PAP) da Uninter em Avaré (SP) e sempre teve “o sonho de cursar uma universidade”. Para ele, ingressar em um curso aos 50 anos “prova que nunca é tarde para buscar conhecimento, reinventar-se e alcançar o sucesso”.

Willian, egresso da primeira turma do curso no PAP em Senhor do Bonfim (BA), se descobriu na área no primeiro emprego, realizado em uma provedora de internet. O egresso garante que a graduação o tornou “mais qualificado para o perfil profissional” e o conhecimento adquirido “é de grande importância para o desempenho das atividades do dia a dia”, como assistente de suporte de TI em uma mineradora.

De acordo com o coordenador do tecnólogo, Luis Gonzaga, a graduação é planejada com base no modelo de referência comprovado do Cisco Certified Network Associate (CCNA). Isso somado à expertise da Uninter no EAD, uma formação empreendedora e para o planejamento, a gestão, a qualidade, os soft skills e a educação ambiental, étnico-racial e de inclusão, além de legislação, governança e de compliance.

O docente salienta o resultado da avaliação realizada pelo MEC entre os dias 17 e 19 de maio, como um momento “muito gratificante e de uma alegria especial”. “Não é por menos que chamamos o processo de ‘reconhecimento’, pois é disso que se trata: reconhecer um bom trabalho feito no decorrer desses quatro anos, desde os primeiros movimentos para a criação do curso”, salienta.

Entre alguns dos diferenciais apresentados por Gonzaga, estão o uso de ambientes de simulação, as ferramentas de interatividade, a comunicação direta com a coordenação e o uso de plataforma aberta (Discord). Assim como a presença constante nas redes sociais e as atividades extensionistas que propiciam oportunidades de atuação na prática. Também se destacam os conhecimentos e habilidades adquiridas, além da promoção de integração com a sociedade, o mercado de trabalho e profissionais da área.

“Nossa sociedade e o atual estágio da civilização totalmente integrada e conectada depende dos profissionais da área de Redes de Computadores para fazer frente ao desafio do momento: a necessidade crescente de velocidade e segurança, e um volume de informação cada vez maior, produzido, armazenado e acessado em qualquer lugar do planeta, por qualquer pessoa e a qualquer momento. E o nosso CST em Redes de Computadores prepara estes profissionais para esta realidade e para o futuro que já se apresenta”, aponta o coordenador.

Parcerias e oportunidades profissionais

Raphael conta que foi graças aos conhecimentos adquiridos no curso que ele conquistou a última experiência profissional na ISH Tecnologia, como analista de defesa cibernética. A parceria da Uninter com a Academia Cisco também proporcionou o primeiro contato com a área de Segurança da Informação. Por meio dela, o estudante conquistou uma das 1,5 mil bolsas concedidas, na concorrência acirrada com 25 mil candidatos.

Na oportunidade, ele pôde se aprofundar em tópicos da área e colocar em prática os conhecimentos por meio de laboratórios práticos e simulações de situações reais, desenvolvendo habilidades essenciais. Assim, Raphael consolidou a “paixão” pelo campo de atuação e foi motivado a buscar vagas na área em constante crescimento.

“Na sociedade atual, onde a tecnologia desempenha um papel cada vez mais importante, é comum associar a área de tecnologia a jovens talentosos e graduados recentes. Enfrentar esses desafios e romper com paradigmas sociais e, dessa forma, mostrar que a motivação, a determinação e a vontade de aprender, são fatores essenciais para transformar sonhos em realidade foram as motivações determinantes”, afirma.

O graduando diz que, com a qualidade do corpo docente, a variedade de programas e cursos oferecidos e a infraestrutura e os recursos disponíveis, a experiência na instituição é “incrivelmente agradável e enriquecedora”.

“Desde o momento em que me matriculei, fui recebido com uma calorosa e acolhedora atmosfera acadêmica, repleta de oportunidades e recursos que estão contribuindo significativamente para o meu crescimento pessoal e profissional […] ter a garantia de que uma universidade é avaliada com nota máxima pelo MEC nos traz uma segurança adicional, indicando que a instituição está comprometida com a qualidade do ensino e oferece uma formação sólida e reconhecida no mercado de trabalho”, conclui Raphael.

Willian conta que escolheu a Uninter pelo “ótimo atendimento e custo-benefício” que encontrou ao se deslocar para o PAP e tirar as dúvidas que possuía. Além disso, com a “ótima experiência durante todo o curso”, mantém contato com professor e colegas até hoje.

“O atendimento virtual foi muito bom, os materiais das bibliotecas digitais também foram bem completos, a plataforma de ensino virtual é bem prática de se utilizar, assim como o material didático disponibilizado é de alta qualidade”, complementa.

O egresso afirma que a nota máxima conquistada pela graduação tem um significado importante, pois “mostra a qualidade da formação, assumindo que aqueles que o fizeram possuem alto grau de conhecimento e habilidades na área, além de ter relevância no mercado de trabalho”. Willian salienta ainda o acolhimento e o contato com o professor Gonzaga, “sempre atencioso” nas resoluções do que precisava, além de sempre acompanhar os estudantes e apresentar as novidades do curso.

Agora, Willian consegue fazer a aplicação dos conhecimentos na resolução de problemas e implantações de projetos no trabalho. Ele planeja empreender na área de prestação de serviços e consultoria, e ainda tem a perspectiva de que pode aplicar os conhecimentos para a área do ensino, compartilhando o conhecimento e formando novos profissionais.

“Os alunos são levados a desenvolver as habilidades e competências ligadas às novas tecnologias, às ferramentas e aos métodos e recursos inovadores, e necessárias para a criação de produtos e serviços de comunicação digital e redes de computadores confiáveis e sustentáveis. Esse desenvolvimento também é voltado para a gestão de negócios e ao empreendedorismo, para a atuação nos diferentes segmentos de comunicação digital e redes de computadores e no desenvolvimento de novos negócios do setor”, finaliza o coordenador Gonzaga.

Incorporar HTML não disponível.
Autor: Nayara Rosolen - Jornalista
Edição: Larissa Drabeski


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *