Próximas Corridas
10 de junho - HERÓIS DO TRIATHLON  - ETAPA 2

14 de junho - ESQUENTA DE CORRIDAS - ETAPA 3

8 de julho - CORRIDA CROSS COUNTRY - ETAPA 3

15 de julho - COPA SOUL DE MONTAIN BIKE - ETAPA 3

28 de julho - RUNNING TOUR - LONDRINA

O UNINTER SPORTS É UM MOVIMENTO
FOCADO NO BEM-ESTAR, SAÚDE E
SUPERAÇÃO DE DESAFIOS.

O Uninter Sports 2018 é um movimento focado no bem-estar, saúde e superação de desafios. Você que é aluno ou colaborador Uninter tem 30% de desconto na inscrição em qualquer corrida patrocinada pela instituição. Para se inscrever acesse o site do nosso parceiro  www.esportepraviver.com.br  e selecione o evento do Uninter Sports em que irá participar. Insira o código  UNINTERSPORTS na ficha de inscrição. E não esqueça de levar crachá/carteirinha de estudante Uninter e um documento com foto para apresentar na retirada dos kits. Vem ser #runinter
Antigamente, corredores não usavam mais do que um tênis e roupas confortáveis. Hoje, isso mudou: relógios, celulares na braçadeira, GPS, frequencímetro, podômetro e, para alguns, fone de ouvido são exemplos de equipamentos que se tornaram sinônimo de corrida. Vamos conhecer cada um deles?
  • Relógios: alguns têm a simples função de mostrar o horário enquanto outros vêm com a função cronômetro. Mesmo essas simples funções podem ter melhorias, como a capacidade de contabilizar o tempo por voltas, além do tempo total de atividade e o número de passos. Opções esportivas possuem GPS embutido, controle de frequência cardíaca e até música, o que diversifica as opções de informação e entretenimento para o corredor.
  • Celulares: com uma infinidade de aplicativos, além de monitorarem as distâncias percorridas pelo GPS embutido, marcam tempo e ritmo. Com o uso de fones de ouvido – com e sem fio – há a possibilidade de ouvir música. Outros aplicativos, quando vinculados às redes sociais, permitem que o corredor receba incentivos dos amigos e facilitam o envio de informações do treino realizado. Para quem não consegue se desconectar, ficam as opções de receber chamadas, mensagens tradicionais e atualização de aplicativos diversos dos smartphones.
  • Frequencímetros: são os marcadores de frequência cardíaca. Possibilitam o controle do ritmo da corrida para diferentes objetivos. Podem ser equipamentos específicos (geralmente cintas presas na altura do peito) que enviam as informações ao relógio ou celular, ou ainda estar embutidos nos relógios mais tecnológicos.
  • Podômetro: pode ser um aparelho específico para contagem dos passos dados em um intervalo de tempo ou mais uma função/app em relógios e celulares. Alguns estudos sugerem que as pessoas saudáveis costumam dar 10 mil passos por dia.
Essas ferramentas propiciam informações extras e facilitam o controle da intensidade e do volume da corrida. Mas é importante reforçar que os equipamentos tecnológicos não substituem o acompanhamento de profissionais da área da saúde – educadores físicos, nutricionistas e médicos. E além disso, sair para correr livre de equipamentos é sempre uma possibilidade para aqueles que não têm restrições médicas.
De maneira geral, as pessoas associam corrida com emagrecimento. Mas será que a relação é tão simples assim? O primeiro ponto importante é entender o que é “emagrecer”. Considerar somente o peso da balança pode não ser útil. Ao desidratar perdemos peso, mas não significa que perdemos gordura. Por isso, não é recomendado correr com excesso de roupa ou usando sacos plásticos para estimular o suor – essa perda de peso é ilusória e prejudicial a saúde. O ideal é que a perda de peso aconteça através pela perda do excesso de gordura corporal. Isso só é viável a partir da combinação exercício e alimentação. Ou seja, tornar o balanço energético negativo, o que significa consumir menos calorias do que se gasta. Em outra oportunidade, vamos entrar na especificidade dos tipos de alimentos em uma reeducação alimentar. No que se refere à atividade física, para perda de gordura, a Associação Americana de Medicina do Esporte sugere atividades físicas moderadas entre 150 e 250 minutos por semana. Mas ressalta que os resultados são modestos. Para perdas de gordura mais significativas, recomendam-se atividades acima de 250 minutos por semana. Apesar disso, outros estudiosos apontam que a perda de peso é altamente heterogênea entre as pessoas. Assim, o ideal é ter expectativas razoáveis – ou seja, não acreditar em perda de peso “milagrosa”. Apesar de nenhum exercício ser milagroso, a ciência reconhece que exercícios contínuos, em intensidade de leve à moderada, utilizam a gordura de forma mais acentuada que atividades mais intensas ou extremamente leves. Dependendo do seu nível de preparo, a caminhada ou a corrida se encaixam nesse perfil. Em resumo: a corrida pode, sim, ser uma aliada para quem objetiva a perda de gordura. Mas ela só será efetiva se vier acompanhada por uma reeducação alimentar.

Dra. Bárbara Schausteck

No inverno, é comum que esportistas fiquem menos dispostos à prática de exercícios; ideal é se preparar e manter a motivação mesmo longe do calor Na prática de atividade física, a sazonalidade é um elemento importante: é muito comum que próximo ao verão as pessoas busquem “entrar em forma”, já que é a estação em que os corpos ficam mais à mostra, enquanto no inverno ocorre o oposto. Mas é sempre importante lembrar que a estética não é o único sentido da prática esportiva e de atividades físicas. Manter-se em movimento traz inúmeros benefícios para saúde que já são bem conhecidos, mas também é importante lembrar que manter a regularidade nas práticas corporais possibilita a manutenção das conquistas de condicionamento e de saúde por todo o ano. No inverno, vale a pena considerar a prática de atividades em ambiente fechado, ou ainda o investimento em roupas que permitam a proteção ao frio. Caso sua opção seja por atividades ao ar livre nas baixas temperaturas, é importante cobrir e proteger o corpo do frio, mesmo que a atividade seja intensa e cause suor. Nesse sentido, roupas compridas, luvas e toucas são recomendadas. Caso o frio esteja muito extremo, é fundamental cobrir o nariz e a boca, para que o ar inspirado não esteja tão frio que exponha as vias aéreas às infecções. Outro cuidado fundamental é com a hidratação: embora no inverno não sintamos tanta sede quanto no verão, o consumo de água deve sempre acontecer, mesmo que não haja sede. O cuidado deve ser maior se as atividades físicas estão sendo realizadas com proteção térmica e gerando uma sudorese maior. No caso da alimentação, tende a existir um gasto calórico maior, pois o corpo gasta mais energia para manter sua temperatura ideal. Entretanto, isso não significa que a alimentação balanceada deva ser descartada. Assim, de forma semelhante ao consumo de líquidos, devemos manter o consumo de frutas e verduras, sem exagerar no consumo de alimentos ricos em gordura, mesmo que eles pareçam ainda mais irresistíveis nos dias frios.
Autora: Prof. Dra. Bárbara Schausteck de Almeida da Licenciatura e Bacharelado em Educação Física do Centro Universitário Internacional Uninter.

MEIA MARATONA DE PINHAIS - 01 OUTUBRO DE 2017

ESQUENTA DE CORRIDAS - 16 AGOSTO DE 2017

RUNNING TOUR PONTA GROSSA - 12 AGOSTO DE 2017

MEIA MARATONA DE CURITIBA - 06 AGOSTO DE 2017

RUNNING TOUR LONDRINA - 29 JULHO DE 2017

CROSS COUNTRY - 09 JULHO DE 2017

RUNNING TOUR JOINVILLE - 13 MAIO DE 2017

RUNNING TOUR CURITIBA - 23 ABRIL DE 2017

ESQUENTA DE CORRIDAS - 14 DE JUNHO DE 2017

Esporte e atividade física sempre fizeram parte da minha vida, a ponto de ter sido a área que escolhi para estudar – da graduação até o pós-doutorado! ...
PROF. DRA. BÁRBARA SCHAUSTECK DE ALMEIDA
A corrida entrou na minha vida em uma fase difícil ,eu estava desempregada ,triste e desanimada ,comecei a correr incentivada por depoimentos de pesso ...
VIVIANE BRUNO GONÇALVES
Por incrível que pareça, o momento em que estou correndo é quando mais consigo relaxar. Mais do que estética e além da qualidade de vida, a corrida f ...
DILMAR JOSE KEMPNER JUNIOR