A IMPORTÂNCIA DO ACOMPANHAMENTO FARMACOTERAPEUTICO NA TERAPIA ANTINEOPLÁSICA ORAL

Franciele Cristine Marcon da Silva, Ana Paula Christakis Costa

Resumo


O câncer é definido como uma doença cuja característica é o crescimento celular descontrolado, que pode se espalhar para outros tecidos e órgãos. São diversas as modalidades de tratamento possíveis, a radioterapia, cirurgia e quimioterapia. Quando se tratado com quimioterapia antineoplásica consiste no emprego de fármacos que atuam a nível celular interferindo no seu processo de crescimento e divisão. Durante os últimos anos um número significante de agentes antineoplásicos orais foi desenvolvido e tem sido registrado uma maior disponibilidade no mercado, drogas com efeitos tóxicos menos agressivos, os quais além de bem toleráveis, também são de fácil manejo. A administração de um medicamento por via oral exige autonomia maior do paciente e surge para facilitar a terapêutica e apresenta vantagens, entre elas é o forte impacto na qualidade de vida dos pacientes. Apesar dos benefícios, a adesão ao tratamento apresenta uma das maiores preocupações relativas a este tipo de terapêutica, ela é crucial para a obtenção de resultados satisfatórios. Diversos fatores são associados à não adesão ao tratamento. A utilização do acompanhamento farmacêutico como estratégia para a aderência ao tratamento é recentemente empregada no tratamento do câncer. Compete ao farmacêutico o monitoramento da adesão, a identificação das causas, assim como a realização de intervenções para a sua promoção. No aconselhamento ao paciente, deve ser fornecido todas as informações necessárias para garantir a adesão ao tratamento, além de desenvolver a confiança entre o paciente e o farmacêutico. Deve-se buscar três objetivos no desenvolvimento de um plano: resolver os problemas relacionados ao medicamento; alcançar os objetivos terapêuticos desejados; prevenir problemas futuros. O qual deve ser realizado por fichas de acompanhamento. O estudo teve por objetivo apresentar a importância de se realizar o acompanhamento farmacoterapêutico, mostrando como pode influenciar em uma maior adesão ao tratamento, aumentando sua efetividade, consequentemente melhorando a qualidade de vida dos pacientes oncológicos.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.