Decisões multilaterais controversas: um estudo da resolução 1929 do conselho de segurança da ONU

Antoine Youssef Kamel

Resumo


RESUMO

A aprovação de uma resolução obrigatória do Conselho de Segurança ocorre a partir da votação das nações que compõe o conselho, quando argumentos e razões para a resolução são apresentados. Esse é o caso da resolução 1929, que propõe uma sanção ao Irã por suspeita de uso de seu programa nuclear para fins bélicos. A resolução 1929 pode ser utilizada como exemplo para entender o processo de adoção de uma sanção multilateral contra um Estado. Serão discutidas, a partir de diferentes autores, as críticas cabíveis a uma resolução tal como a 1929, especialmente nos termos de efetividade, amplitude, equidade, soberania e efeitos na população civil do país sancionado. A partir do exposto, propõe-se um debate sobre a legitimidade que o Conselho de Segurança da ONU detém no cenário mundial.

 

Palavras-chave: Organização das Nações Unidas; Conselho de Segurança; Resolução 1929; Sanções contra o Irã; Legitimidade.

 

 

 

ABSTRACT

The adoption of a binding resolution of the Security Council occurs from the vote of the nations that compose the council, when arguments and reasons for the resolution are presented. This is the case of the 1929 resolution, which proposes a sanction against Iran due to the suspicion of use of its nuclear program for war purposes. The resolution 1929 can be used as an example to understand the process of adoption of a multilateral sanction against a State. The applicable criticism on a resolution such as the 1929 will be discussed from different authors, especially in terms of effectiveness, amplitude, fairness, sovereignty and effects on the civilian population of the sanctioned country. From the foregoing, it is proposed a debate on the legitimacy that the UN Security Council holds on the world stage.

 

Key words: United Nations; Security Council; Resolution 1929; Sanctions against Iran; Legitimacy


Referências


AUST, Anthony. Handbook of international law. Cambridge University Press: New York, 2005.

AZAMBUJA, Marcos Castrioto de. As Nações Unidas e o conceito de segurança coletiva. Estudos avançados. São Paulo, v. 9, n. 25, p. 139–147, dez. 1995.

BORGER, Julian. Nuclear watchdog chief accused of pro-western bias over Iran. The The Guardian, London, 22 mar. 2012. Disponível em: . Acesso em: 01 set. 2012.

CALABRESI, Massimo; NEWTON-SMALL. How Bibi learned to trust Barack. Time, New York, 19 mar. 2012. Disponível em: . Acesso em: 10 mar. 2012.

CHANCE, Matthew. Iran boosting enrichment efforts, international inspectors say. CNN, Atlanta, 24 fev. 2012. Disponível em: . Acesso em: 24 fev. 2012.

DROUBI, Sufyan El. Notas sobre as resoluções obrigatórias do Conselho de Segurança da ONU e sua introdução no direito brasileiro. Revista IMES de Direito, São Caetano do Sul, a. 8, n. 12, p. 225–270, 2007. Disponível em: . Acesso em: 18 maio 2012.

ERDBRINK, Thomas. Nonaligned nations back Iran’s nuclear bid, but not Syria. The New York Times, New York, 31 ago. 2012. Disponível em: . Acesso em: 01 set. 2012.

ERLANGER, Steve. Iran talks set to resume. The New York Times, New York, 20 jan. 2011. Disponível em: . Acesso em: 21 fev. 2012.

EUA e Israel farão exercício militar conjunto com mais de cinco mil soldados. Opera Mundi, São Paulo, 06 nov. 2011. Disponível em: . Acesso em: 01 set. 2012

FARRALL, Jeremy Matam. United Nations sanctions and the rule of law. New York: Cambridge University, 2007.

FOMERAND, Jacques. The A to Z of the United Nations. Lanham: Scarecrow, 2009.

GOMES, Eduardo Biacchi. Democracia e o Parlamento do Mercosul: rumos da integração sul-americana. Revista de Informação Legislativa, Brasília, a. 48, n. 191, p. 47–60, jul./set. 2011.

GUERRA, Sidney. Curso de direito internacional público. 4. ed. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2009.

HAMID, Shadi; LYNCH, Marc. Who will save Syria? Time, New York, 19 mar. 2012. Disponível em: . Acesso em: 09 mar. 2012.

HUFBAUER, Gary Clyde et al. Economic sanctions reconsidered. 3. ed. Washington: The Peterson Institute for International Economics, 2007.

IRAN’S Nuclear Program (Nuclear Talks, 2012). The New York Times, New York. Disponível em: . Acesso em: 11 maio 2012.

JOYNER, Daniel H. The Security Council as a legal hegemon. Georgetown Journal of International Law, Washington, v. 43, n. 2, p. 225–257, abr./jun. 2012. Disponível em: . Acesso em: 18 maio 2012.

KERSHNER, Isabel. Israeli ex-spy predicts delay for Iran’s nuclear ambitions. The New York Times, New York, 7 jan. 2011. Disponível em: . Acesso em: 26 ago. 2012.

LANDLER, Mark. U.S. says sanctions hurt Iran nuclear program. The New York Times, New York, 10 jan. 2011. Disponível em: . Acesso em: 30 maio 2012.

MACFARQUHAR, Neil. U.N. approves new sanctions to deter Iran. The New York Times, New York, 9 jun. 2010. Disponível em: . Acesso em: 21 fev. 2012.

MARDER, Jenny. Mechanics of a nuclear meltdown explained. PBS, Arlington, 15 mar. 2011. Disponível em: . Acesso em: 29 ago. 2012.

MELLO, Celso Duvivier de Albuquerque. Curso de direito internacional público. 14. ed. rev. e aum. Rio de Janeiro: Renovar, 2002. 2 v.

______. Curso de direito internacional público. 15. ed. rev. e ampl. Rio de Janeiro: Renovar, 2002. 2 v.

MOORE JUNIOR, John Allphin; PUBANTZ, Jerry. Encyclopedia of the United Nations. 2. ed. New York: Facts on File, 2008.

NUCLEAR watchdog team disappointed after Iran visit. CNN International, Atlanta, 22 fev. 2012. Disponível em: . Acesso em: 22 fev. 2012.

PEARSE, Damien. Iran can make nuclear weapons — but won’t, says top politician: Statement is the first time an Iranian politician has admitted country has capability to produce nuclear arms. The Guardian, London, 07 abr. 2012. Disponível em: . Acesso em: 10 abr. 2012.

RAMINA, Larissa. Autodeterminação iraniana. Carta Maior, São Paulo, 02 maio 2012. Disponível em: . Acesso em: 19 nov. 2012.

SABATINI, Richard. Economic sanctions: pressuring Iran’s nuclear program. Nuclear Threat Initiative, Washington, 24 jun. 2010. Disponível em: . Acesso em: 04 jun. 2012.

SANGER, David E.; SLACKMAN, Michael. U.S. Is skeptical on Iranian deal for nuclear fuel. The New York Times, New York, 17 maio 2010. Disponível em: . Acesso em: 21 fev. 2012.

SHAW, Malcolm Nathan. International law. 5. ed. Cambridge: Cambridge University, 2003.

TRINDADE, Antônio Augusto Cançado. Direito das organizações internacionais. 3. ed. rev., atual. e ampl. Belo Horizonte: Del Rey, 2003.

______. Direito das organizações internacionais. 5. ed. rev., atual. e ampl. Belo Horizonte: Del Rey, 2012.

UNITED NATIONS. Security Council imposes additional sanctions on Iran, voting 12 in favour to 2 against, with 1 abstention: Brazil, Turkey, Lebanon say Tehran Declaration could boost diplomatic efforts, while sanctions represent failure of diplomacy. Disponível em: . Acesso em: 24 mar. 2012.

ZAKARIA, Fareed. Another war in the Middle East? Time, New York, 19 mar. 2012. Disponível em: . Acesso em: 10 mar. 2012.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .