As mídias em comunidades indígenas: habitus como uma matriz cultural?

Helania Thomazine Porto

Resumo


Neste trabalho discorreremos sobre alguns conceitos apresentados por Pierre Bourdieu (1980, 1983, 1972, 1998 e 2009), especificamente sobre o habitus, com vistas as análises de usos e de apropriações de mídias por indígenas, da etnia Pataxós, da Bahia. O projeto problematiza a singularidade do processo de construção da identidade cultural indígena a partir da inserção das mídias na aldeia, a utilização das mídias por essa comunidade, os sistemas midiáticos e o condicionamento de condutas de apropriações midiáticas, buscando, assim, refletir sobre as abordagens metodologias a serem adotadas. Assim, olhar criticamente para as diversas práticas comunicativas estabelecidas pela comunidade indígena vem se configurando como um desafio frente ao potencial que os meios de comunicação oferecem como recursos para a investigação comunicacional, especificamente na padronização ou não de comportamento nos processos midiáticos. Portanto, faz-se necessário entender os processos comunicacionais sob o ponto de vista da cultura. Pensando o conceito de cultura (no sentido antropológico e não estruturalista) sem se opor ao de habitus, mas sem ser reduzir a este como o único princípio para explicação das práticas sociais, conforme vimos em Bourdieu.



DOI: http://dx.doi.org/10.22169/revint.v11i23.966

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Intersaberes - ISSN 1809-7286