Os desafios do tutor na formação de professores

Sandra Mara Lara, Pura Lucia Oliver Martins, Rosangela Gasparim, Claudia Martins de Souza

Resumo


RESUMO

O Ensino à distância cresceu muito nos últimos anos, trazendo novos desafios aos educadores e novos atores no processo educacional, como os tutores. Esta pesquisa tem como objetivo analisar o papel do tutor de educação a distância, especificamente no que diz respeito à interação com os licenciados e no desenvolvimento da autonomia desses. A pesquisa de campo, de abordagem qualitativa, envolveu coleta de dados por meio de depoimentos de 10 tutores e questionário encaminhado a 10 estudantes de EaD. A análise dos dados fundamenta-se em autores que abordam a temática da educação à distância e do uso das tecnologias em educação, como Levy (1999), Kenski (2005), Freire (1987), Santos (2015), entre outros. Os resultados indicam que o tutor tem papel fundamental para o sucesso do ensino a distância, desenvolvendo um ambiente onde a interação favoreça a aprendizagem e a autonomia dos estudantes.

 

Palavras-chave: Tutor virtual. Educação a Distância. Autonomia na aprendizagem.

 

ABSTRACT

Distance education has grown dramatically in recent years, bringing new challenges for educators and new actors within the educational process, such as online tutors. The main goal of this paper is to analyze the online tutor role on distance education, particularly the interaction with graduates, and in their autonomy development. The field research, with a qualitative approach, involved data collection by the statement of ten tutors and a questionnaire answered by ten Distance Education students. The data analysis is based on authors that focus on distance education and also on the use of technology in education like Levy (1999), Kenski (2005), Freire (1987), Santos (2015), and others. The results show that the tutor has a fundamental role for the success of distance education, developing an environment where interaction fosters students learning and autonomy.

Keywords: Online tutor. Distance education. Autonomy in learning

RESUMEN

La educación a distancia ha crecido espetacularmente en los últimos años, planteando nuevos retos a los educadores y a los nuevos actores en el proceso educativo, como los tutores virtuales. Esta investigácion tiene como objetivo analizar el papel del tutor de educación a distancia, em especial a lo que se refiere a la interacción con los licenciados y en el desarrollo de la autonomía de esos. El sondeo del campo de abordaje cualitativo involucró a recolección de datos por medio de testimonios de 10 tutores y cuestionario encaminado a 10 estudiantes de EaD. El análisis de los datos se fundamenta en autores que abordan la temática de la educación a distancia y del uso de las tecnologías en educación, como Levy (1999), Kenski (2005), Freire (1987), Santos (2015), entre otros. Los resultados indican que el tutor tiene un papel fundamental para el éxito de la enseñanza a distancia, desarrollando un ambiente donde la interacción favorezca el aprendizaje y la autonomía de los estudiantes.

 

Palabras clave: Tutor virtual. Educación a distancia. Autonomía en el aprendizaje

 



DOI: http://dx.doi.org/10.22169/revint.v14i31.1447

Referências


BARROS, Kazue Saito Monteiro de; CRESCITELLI, Mercedes Fátima de Canha. Prática docente virtual e polidez na interação. In: MARQUESI, Sueli Cristina; ELIAS, Vanda Maria da Silva; CABRAL, Ana Lúcia Tinoco (orgs.). Interações virtuais: perspectivas para o ensino da Língua Portuguesa a distância. São Carlos: Editora Clara Luz, 2008, p. 73-92.

BRASIL. MEC – SECRETARIA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Decreto Nº. 5.622, de 19 de dezembro de 2005. Regulamenta o art. 80 da Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Publicado no Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 20 de dezembro de 2005.

BRASIL. MEC – SECRETARIA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Referenciais de REFERENCIAIS para educação superior a distância. Brasília. Agosto de 2007.

FERREIRA, M. M. S. e REZENDE. R. S. R. O trabalho de tutoria assumido pelo Programa de Educação a Distância da Universidade de Uberaba: um relato de experiência. 2003. Disponível em: www.abed.org?seminãrios2003/testo19.htm. Acessado em 08 de fevereiro de 2018.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

KENSKI, Vani Moreira. Tecnologias e ensino presencial e a distância. Campinas: Papirus, 2003.

LEVY, P. O que é o virtual? São Paulo: Ed. 34, 1996.

LEVY, Pierre. Cibercultura, Copyright © Editora 34 Ltda. (edição brasileira), 1999.

MAIA, C.; MATTAR, J. ABC da EaD: a educação a distância hoje. São Paulo: Pearson/ Prentice Hall, 2008.

MARCUSCHI, Luiz Antônio; XAVIER, Antônio Carlos (orgs.). Hipertexto e

gêneros digitais: novas formas de construção de sentido. 3. ed. São Paulo: Cortez,2010.

PINTO, Anamelea de Campos; BASTOS FILHO, Jenner Barretto. Autoria, autonomia e ética na educação a distância. Perspectiva. Florianópolis, v. 30, n. 1, 155-172, jan. /abril 2012. Disponível em: < http://www.ufal.edu.br/ppgecim/publicacoes/profa.-dra.-anamelea-de-campos-pinto/autoria-autonomia-e-etica-na-educacao-a-distancia>. Acesso em: 30 de agosto de 2016.

SÁ, Iranita M. A. Educação a Distância: Processo Contínuo de Inclusão Social. Fortaleza, C.E.C., 1998.

SANTOS, Fernando de Almeida. Tendências da educação a distância ou tendências da educação? In: ORTIZ, Felipe Chibás; SANTOS, Fernando de Almeida. (Org.) Gestão da educação a distância: Comunicação, desafios e estratégias. São Paulo: Atlas, 2015.

WITTER, G. P. Ética e pesquisa: gestores e pesquisadores. In: CURTY, R. (Org.). Produção intelectual no ambiente acadêmico. Londrina: Departamento de Ciência da Informação, Universidade Estadual de Londrina, 2010. p. 9-29.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Intersaberes - ISSN 1809-7286

PREFIXO DOI: 10.22169