Formação de professores e Processo de Bolonha nas oportunidades de inovação educacional

Fátima Sousa-Pereira, Carlinda Leite

Resumo


RESUMO

A reforma no Ensino Superior (ES) veiculada pelo Processo de Bolonha (PB) pretendeu introduzir mudanças significativas na organização e no funcionamento dos cursos do ES. O artigo destaca as que se referem à organização e desenvolvimento do currículo, pelas repercussões que acarretam para as Instituições de Ensino Superior (IES), e elege como objeto de estudo a formação inicial de professores. Recorrendo ao quadro teórico-metodológico do Authentic School Improvement (Hopkins, 2008), por constituir uma abordagem que estabelece uma ligação coerente e articulada entre políticas e práticas e porque se apresenta como uma alternativa para a mudança sistémica e a inovação educacional através da construção de capacidade (“capacity building”) nas instituições educativas, foram analisados os documentos legais que, em Portugal, estruturam e regulamentam a organização do ES no quadro do PB e a habilitação profissional para a docência. De um modo geral, a análise permite afirmar que o discurso legal associado ao PB comporta potencial de inovação organizacional, curricular e pedagógica.

Palavras-chave: Reforma e inovação educativa; Processo de Bolonha; Ensino Superior; Formação Inicial de Professores; School Improvement.

 

Abstract

The reform in Higher Education (HE) published by Bologna Process (BP) intended to introduce significant changes in the organization and functioning of the HE courses. The article, focusing the initial teacher training, highlights changes referred to the curriculum organization and development, due to the repercussions that it entails for the Higher Education Institutions. Drawing on the theoretical framework of Authentic School Improvement (Hopkins, 2008), that it is an approach that establishes a coherent and articulated link between policies and practices and presents itself as an alternative to systemic change and educational innovation through the capacity building in educational institutions, it was analyzed legal documents that, in Portugal, structure and regulate the HE organization within BP framework, as well as the professional qualification for teaching. In general, the analysis allows to affirm that legal discourse associated to the BP contains potential of organizational, curricular and pedagogical innovation.

Key-words: Educational reform and innovation; Bologna Process; Higher Education; Initial Teacher Training; School Improvement.

 

Resumem

La reforma en la Enseñanza Superior (ES) transmitida por el Proceso de Bolonia (PB) pretendió introducir cambios significativos en la organización y el funcionamiento de los cursos del ES. El artículo destaca las que se refieren a la organización y desarrollo del currículo, por las repercusiones que acarrea para las Instituciones de Enseñanza Superior, y elige como objeto de estudio la formación inicial del profesorado. En el marco teórico del Authentic School Improvement (Hopkins, 2008), que és un planteamiento que establece un vínculo coherente y articulado entre políticas y prácticas y porque se presenta como una alternativa para el cambio sistémico y la innovación educativa p la construcción de capacidade ("creación de capacidad") en las instituciones educativas, se analizaron los documentos legales que, en Portugal, estructuran y organizan el ES en el PB, así como la calificación profesional para la enseñanza. En general, el análisis permite afirmar que el discurso legal asociado al PB comporta potencial de innovación organizacional, curricular y pedagógico.

Palabras clave: Reforma e innovación educativa; Proceso de Bolonia; Enseñanza superior; Formación Inicial del Profesorado; School Improvement.



DOI: http://dx.doi.org/10.22169/revint.v13i28.1408

Referências


AINSCOW, M., HOPKINS, D., SOUTHWORTH, G., & WEST, M. Hacia Escuelas Eficaces para Todos: Manual para la Formación de Equipos Docentes. Madrid: Narcea, 2001.

BARBER, M. From System Effectiveness to System Improvement: reform Paradigms and relationships. In A. Hargreaves & M. Fullan (Eds.), Change Wars (pp. 71-96). Bloomington, IN: Solution Tree, 2009.

CASANOVA, M. A. Diseño curricular e Innovación educativa. Madrid: Editorial La Muralla, 2006.

CHAPMAN, C. Improving Schools Through External Intervention. London: Continuum, 2005.

CREEMERS, B., STOLL, L., & REEZIGT, G. Effective School Improvement – Ingredients for Success: The results of an International Comparative Study of Best Practice Case Studies. In T. Towsend (Org.), International Handbook of School Effectiveness and Improvement (pp. 223-242). Netherlands: Springer, 2007.

ESTEVES, M. Construção e desenvolvimento das competências profissionais dos professores. Sísifo. Revista de Ciências da Educação, 8, 37-48, 2009. Consultado em Maio, 2009, em http://sisifo.fpce.ul.pt

HARGREAVES, A. Os Professores em Tempos de Mudança. O Trabalho e a Cultura dos professores na Idade Pós-Moderna. Lisboa: McGraw-Hill, 1998.

HOPKINS, D. School Improvement for Real. London: Routledge Falmer, 2001.

HOPKINS, D. Every School a Great School: Realizing the Potential of System Leadership (2.ª ed.). Berkshire, England: Open University Press, 2008.

HOPKINS, D., HARRIS, A., STOOL, L., & MACKAY, T. School and System Improvement: State of the Art Review. Keynote presentation prepared for the 24th International Congress of School Effectiveness and School Improvement, Limassol, Cyprus, 2011. Consultado em Agosto, 2012, em http://www.icsei.net/icsei2011/State_of_the_art/State_of_the_art_Session_C.pdf

JAMES, F. An exploration of school improvement theory and practice in secondary schools in Trinidad and Tobago. Paper presented at the British Educational Research Association Annual Conference, Heriot-Watt University, Edinburgh, 2008. Consultado em Abril, 2012, em www.leeds.ac.uk/educol/documents/174547.doc.

LEITE, C. Para uma escola curricularmente inteligente. Porto: Asa Editores, 2003.

LEITE, C. E RAMOS K. Reconfigurações da Docência Universitária: um olhar focado no Processo de Bolonha, Educar em Revista, Curitiba, Brasil, nº 57, pp. 37-47, jul/set, 2015.

LEITE, C. E RAMOS K. Políticas do ensino superior em Portugal na fase pós-Bolonha: implicações no desenvolvimento do currículo e das exigências ao exercício docente, Revista Lusófona de Educação, 28, p. 73-89, 2014.

LEITE, C.; FERNANDES, P. & SOUSA-PEREIRA, F. Post-Bologna policies for teacher educaction in Portugal: tensions in building professional identities. Profesorado, Revista de Currículum y Formación del Profesorado. 21(1), 181-201, 2017. https://recyt.fecyt.es/index.php/profesorado/issue/view/3068.

LIMA, L. Projectos de inovação nas escolas: Da reforma-decreto à reforma mudança. In B. P. Campos (Org.), Investigação e inovação para a qualidade das escolas. Lisboa: IEE/ME, 1996.

RIVAS NAVARRO, M. Innovación Educativa. Teoría, Procesos y Estrategias. Madrid: Editorial Síntesis, 2000.

ROLDÃO, M. C. Gestão do Currículo e Avaliação de Competências - As questões dos professores (3ª edição). Lisboa: Editorial Presença, 2005.

SOUSA-PEREIRA, F.; LEITE, C. & MELO DE CARVALHO, J. Políticas de Formação Inicial de Professores em Portugal no Processo de Bolonha: uma análise intrainstitucional a partir de práticas de formação. Revista Educação Unisinos - Dossier: Formação de Professores: políticas e prática. 19(1), 6-21, 2015.

VIÑAO, A. El êxito o fracaso de las reformas educativas: condicionantes, limitaciones, posibilidades. In J. Gimeno Sacristán (Comp.), La reforma necesaria: Entre la política educativa y la prática escolar (pp. 43-60). Madrid: Ediciones Morata, 2006.

Legislação:

LEI nº 49/2005, de 30 de Agosto – Segunda alteração à Lei de Bases do Sistema Educativo e primeira alteração à Lei de Bases do Financiamento do Ensino Superior.

D. L. nº 42/2005, de 22 de Fevereiro – Princípios reguladores de instrumentos para a criação do espaço europeu de ensino superior.

D. L. nº 74/2006, de 24 de Março – Regime Jurídico dos graus académicos e diplomas do ensino superior, alterado pelos D. L. nº 107/2008 e 230/2009.

D. L. nº 43/2007, de 22 de Fevereiro – Regime jurídico da habilitação profissional para a docência na educação pré-escolar e nos ensinos básico e secundário.

LEI nº 38/2007, de 16 de Agosto – Aprova o regime jurídico da avaliação do ensino superior.

LEI nº 62/2007, de 10 de Setembro – Aprova o regime jurídico das instituições de ensino superior.

D. L. nº 369/2007, de 5 de Novembro – Institui a Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior.

D. L. nº 107/2008, de 25 de Junho – Republica o D. L. nº 74/2006, de 24 de Março Regime Jurídico dos graus académicos e diplomas do ensino superior.

D. L. n.º 79/2014 de 14 de maio - Regime jurídico da habilitação profissional para a docência na educação pré-escolar e nos ensinos básico e secundário.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Intersaberes - ISSN 1809-7286

PREFIXO DOI: 10.22169