As influências das Tecnologias de Informação e Comunicação na formação do indivíduo – prós e contras

Walnizeti Guedes Barbosa, Annemaria Kottel

Resumo


RESUMO

A proposta deste artigo é apresentar as influências positivas e negativas das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) disponíveis atualmente, na formação do indivíduo nos âmbitos pessoal e educacional. A metodologia utilizada na revisão consiste na análise bibliográfica de artigos publicados relacionados a esses meios eletrônicos, cujas opiniões variam entre prós e contras. Observou-se que, mesmo com pontos negativos valorizados, as tecnologias estão cada vez mais inseridas na sociedade e nos ambientes educacionais. O objetivo desse artigo é discutir como essas tecnologias podem ser aproveitadas nas intervenções psicopedagógicas com o indivíduo, no sentido de favorecer o seu desenvolvimento com novos equipamentos e sistemas, como também auxiliar na recuperação dos casos de utilização exagerada, causa de dependência e problemas cognitivos e funcionais, provenientes do uso dos meios eletrônicos.

Palavras-chave: Tecnologias. Educação. Jogos Eletrônicos. Psicopedagogia.

ABSTRACT

The purpose of this article is to present the positive and negative influences of Information and Communication Technologies (ICTs) currently available, in the formation of the individual, at personal and educational levels. The methodology used in the review consists in bibliographic analysis of published articles related to these electronic media, with opinions varying between pros and cons. It was observed that, even with negative points being valued, technologies are increasingly inserted in society and educational environments. The aim of this article is to discuss how these technologies can be used in psychopedagogic interventions with the individuals providing their development with new equipment and systems, as well as assist in the recovery of cases of overuse, that causes dependence and cognitive and functional problems, arising from the use of electronic media.

Keywords: Technologies. Education. Electronic games. Psychopedagogy.

RESUMEN

La propuesta de este artículo es presentar las influencias positivas y negativas de las Tecnologías de la Información y Comunicación (TIC) disponibles en la actualidad, sobre la formación del individuo en los ámbitos personal y educacional. La metodología utilizada en la revisión consiste en el análisis bibliográfico de artículos publicados, relacionados con esos medios electrónicos, cuyas posturas oscilan entre posiciones favorables y desfavorables. Se observó que, aun con los aspectos negativos realzados, las tecnologías están cada vez más inseridas en la sociedad y en los ambientes educacionales. El objetivo de este artículo es discutir como esas tecnologías pueden ser aprovechadas en las intervenciones psicopedagógicas con el individuo, en el sentido de favorecer su desarrollo por medio de nuevos equipos y sistemas. También se plantea ayudar en la recuperación de los casos de utilización excesiva, causa de dependencia y problemas cognitivos y funcionales, provenientes del uso de medios electrónicos.

Palabras-clave: Tecnologías. Educación. Juegos Electrónicos. Psicopedagogía.

Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, C. N. et al. Dependência de internet e de jogos eletrônicos: uma revisão. Instituto de Psiquiatria, Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), São Paulo, 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-44462008000200014 . Acesso em 15/01/2017.

ANNUNCIATO, P. O céu no celular. Revista Nova Escola, São Paulo, num. 298, 19. Dezembro, 2016.

BARBOSA, L. M. S. Intervenção psicopedagógica no espaço da clínica. Intersaberes, Curitiba, 2012.

BERNARDO, N. Um estúdio de games numa escola pública. Revista Nova Escola, São Paulo, num. 296, 16-18. Outubro, 2016.

BRACCIALLI, L. M. P. et al. Vídeo game na escola e na clínica: auxiliar na inclusão. Journal of Research in Special Educational Needs (JORSEN), v. 16, number s1, 1078-1081, 2016. Disponível em: http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/1471-3802.12358/abstract . Acesso em 15/01/2017.

CARDOSO, M. Do game para a quadra. Revista Nova Escola, São Paulo, num. 297, 24. Novembro, 2016.

CORCINI, L. F.; SANTOS, R.O. RPG Maker: proposta de utilização no processo de ensino-aprendizagem em curso superior de tecnologia. Anais CONCIS – Congresso Internacional Uninter – Conhecimento, Inovação e Sustentabilidade, p. 360, UNINTER – Mestrado em Educação e Novas tecnologias, Curitiba, 2015. Disponível em: http://www.uninter.com/concis/arquivos/anais-concis.pdf . Acesso em 15/01/2017.

CUNHA, M. M.; CUNHA, S. N.; DOMINGUES, A. S. O. L. Contribuições dos textos, imagens, recursos audiovisuais, mapas conceituais e jogos eletrônicos no processo de explicação de conteúdos. 9º Encontro Internacional de Formação de Professores e Fórum Permanente de Inovação Educacional. Universidade Tiradentes, Aracaju, 2016.

Disponível em: https://eventos.set.edu.br/index.php/enfope/article/view/1921 . Acesso em 15/01/2017.

HILDEBRAND, H. R. Os jogos eletrônicos no processo de cognição de surdos. Journal of Research in Special Educational Needs (JORSEN), v. 16, number s1, 799-803, 2016. Disponível em:http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/1471-3802.12218/abstract . Acesso em 15/01/2017.

LIMA, J. L. S. As diferentes formas de aprender: o uso dos jogos eletrônicos facilitando o processo de ensino-aprendizagem do educando com deficiência intelectual. Universidade Estadual da Paraíba, Centro de Educação, Campina Grande, 2016. Disponível em: http://dspace.bc.uepb.edu.br/jspui/bitstream/123456789/10611/1/PDF%20-%20Joselma%20de%20Lourdes%20da%20Silva%20Lima.pdf . Acesso em 15/01/2017.

LOIOLA, R.; CARNEIRO, R. A geração Touch. Revista Veja, São Paulo, edição 2459, num. 1, 72-81. Janeiro, 2016.

MUNGUBA, M. C. Jogos eletrônicos: apreensão de estratégias de aprendizagem. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, vol.16, num. 2, PP. 39-48, 2003. Disponível em: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=40816208 . Acesso em 15/01/2017.

SCHELP, D. O instinto e os smartphones. Revista Veja, São Paulo, edição 2469, num. 11, 29-30. Março, 2016.

SETZER, V. W. Efeitos negativos dos meios eletrônicos em crianças, adolescentes e adultos. Depto. de Ciência da Computação, Instituto de Matemática e Estatística da USP, São Paulo, 2014. Disponível em: https://www.ime.usp.br/~vwsetzer/efeitos-negativos-meios.html . Acesso em 15/01/2017.

SETZER, V. W. Os riscos dos jogos eletrônicos na idade infantil e juvenil. Depto. de Ciência da Computação, Instituto de Matemática e Estatística da USP, São Paulo, 2001. Disponível em: https://www.ime.usp.br/~vwsetzer/joguinhos.html.Acessoem 15/01/2017.

VISCA, J. Introdução aos jogos lógicos no tratamento psicopedagógico. História, regras e significado psicopedagógico. Tradução: Sonia Maria Gomes de Sá Küster. São José dos Campos. Pulso, 2012.




Direitos autorais 2019 Caderno Intersaberes