Será a dialética uma ferramenta de ensino?

Silas Meir de Souza, Andressa Wansing

Resumo


RESUMO

A seara escolhida é a do conhecimento, e teve como proposta principal o entendimento de dialética em Hegel. Visou tirar dele uma ferramenta para o ensino, e propôs a dialética hegeliana como o primeiro contato do estudante com a filosofia, atingindo outros autores, observando o pensamento historicamente construído. Utilizou Hegel e seu entendimento de realidade, observando oposições como formadora da realidade, com isso este forjara a dialética moderna, criando uma tríade entre: tese, antítese e síntese, em que a síntese é a junção das anteriores que forma a nova tese, e assim sucessivamente, expandindo o leque de possibilidades através dessa iniciação. Utilizando o método bibliográfico, exploramos o olhar hegeliano de síntese nas oposições, explicando uma realidade em movimento, propondo esta como passageira constante vir a ser. Através da dialética observamos o berço desse pensamento, passando rapidamente por Heráclito, Demócrito, Kant, Marx, Nietzsche e Gadamer, observando oposições em pensadores importantes do passado, aplicados tanto para explicar sentimentos, entendimento de sociedade, crítica a correntes epistemológicas, atingindo a hermenêutica e a filosofia da mente, assim, oportunizou a avaliação da pergunta: Será a dialética uma ferramenta de ensino?

Palavras-chave: Dialética moderna. Explicação. Realidade.

ABSTRACT

The following paper focus on knowledge and its main objective is to understand Hagel’s dialectics. It tried to build a teaching tool out of Hagel as well as proposed Hegel’s dialectics as the first contact of students with philosophy, analyzing other authors and observing the consolidated historical thinking. It used Hegel and his reality perception to realize opposites make reality and in that way, Hegel forged modern dialectics by creating the triad thesis, synthesis and antithesis. The synthesis incorporates the thesis and the antithesis, which makes a new thesis and so on. Such process expand the range of possibilities. The authors used the bibliographical method to explore Hegel’s synthesis point of view regarding opposites to explain the reality in motion by proposing it as a temporary one to come. Through dialectics, the authors realized the core of such thought as well as considering Heráclito, Demócrito, Kant, Marx, Nietzsche and Gadamer. Taking into consideration different opinions among classic thinkers, the authors tried to explain feelings, society, critics to epistemological lines of thought, hermeneutic and mind philosophy and made the question “May dialectic be a teaching tool?.”

Keywords: Modern dialectics. Explanation. Reality.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, A. C. S. Filosofia política. Curitiba: InterSaberes, 2015. (Série Estudos de Filosofia).

BRAGA JUNIOR, A. D.; LOPES L. F. Introdução à filosofia antiga. Curitiba: InterSaberes, 2015. (Série Estudos de Filosofia).

CIRNE-LIMA, C. R. Dialética para principiantes. Porto Alegre: Edipuc, 1996.

CHINAZZO, S. S. R. Epistemologia das ciências sociais. Curitiba: InterSaberes, 2013.

DICIONÁRIO AURÉLIO ONLINE. Disponível em:

https://dicionariodoaurelio.com/dialetica Acesso em:10/10/2016

DICIONÁRIO MICHAELIS ONLINE. Disponível em:

http://michaelis.uol.com.br/busca?id=GWD3 Acesso em: 10/10/2016

ENGELMANN, A. A.; TREVISAN, F. C. Leitura e produção de textos filosóficos. Curitiba: InterSaberes, 2015 (Série Abordagens Filosóficas em Educação).

FERREIRA, F. L. História da Filosofia Moderna. Curitiba: InterSaberes, 2015, (Série Estudos de Filosofia).

MARTINS, M.V. Trabalho e dialética: Hegel, Marx e a teoria social do devir. Jesus Ranieri. São Paulo: Boitempo Editorial, 2011, 176 p. Trab. educ. saúde vol.11 no.2 Rio de Janeiro May/Aug. 2013. Universidade Federal Fluminense (UFF), Niterói, Rio de Janeiro, Brasil

Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-77462013000200012. Acesso em: 30/09/2016.

MENON, Walter. Filosofia da mente. Curitiba: InterSaberes, 2016. (Série Estudos de Filosofia).

MIRANDA, L. F. S. Introdução Histórica à filosofia das ciências. Curitiba: InterSaberes, 2016. (Série Estudos de Filosofia).

NOYAMA, S. Estética e filosofia da arte. Curitiba: InterSaberes, 2016. (Série Estudos de Filosofia).

OLIVEIRA, R. C. Antropologia filosófica. Curitiba: InterSaberes, 2012. (Série Estudos de Filosofia).

PLEINES, J. E. Friedrich Hegel. Tradução Sílvio Rosa Filho (Org.). Recife: Massangana, 2010. Fundação Joaquim Nabuco (Coleção Educadores).

POLESI, R. Ética antiga e medieval. Curitiba: InterSaberes, 2014. (Série Estudos de Filosofia). Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC/PR.)

RAMOS, C. Professor adjunto do departamento de filosofia do programa de pós-graduação em filosofia.

PRADO, C. Razão e Progresso na Filosofia da História de Hegel

___Artigo. R. Mest. Hist., Vassouras, v. 12, n. 2, p. 99-114, jul./dez., 2010

Disponível em:

http://www.uss.br/pages/revistas/revistaMestradoHistoria/v12n22010/pdf/005Razao_Progresso.pdf. Acesso em: 13/10/2016

SIMÕES, M. C. Os caminhos da reflexão metafísica fundamentação e crítica. Curitiba: InterSaberes, 2015. (Série Estudos de Filosofia).

TRIGO, L. G. G. Pensamento filosófico um enfoque educacional. Curitiba: InterSaberes, 2013. (Série Abordagens Filosóficas em Educação).




Direitos autorais 2019 Caderno Intersaberes