A tempestade e o caos

Paulo Martins Herrans, Rui Valese

Resumo


RESUMO

A realidade é intrinsecamente incerta e, portanto, a verdade cartesiana também é incerta. Neste sentido, para nossa libertação e evolução do pensamento e de nossas existências, o pensamento deve ser levado para além das ideias claras e distintas, deve ser complexificado, caotizado, depois deve retornar à simplificação e à ordem, desta vez pleno de “implenitude”. Partindo desta ideia, utilizando-se dos próprios elementos simples e complexos que deseja estudar, este artigo pretende interpretar alguns aspectos do conceito de caos e relacioná-lo à complexidade. Uma flor é simples e ordenada, mas também é complexa e caótica. Caos parece ser o ingrediente que unido com a ordem forma a unidade orgânica da realidade. Caos e ordem não existem separadamente. Caos relaciona-se com os novos conceitos de complexidade, incerteza, acaso, interação, sistema, retroalimentação, indeterminação, probabilidade, descontinuidade temporal, irreversibilidade, imprevisibilidade, desproporcionalidade e fractal. Todos estes novos conceitos relacionam-se por um lado à incerteza caótica intrínseca à própria realidade e por outro ao ordenamento ou organização que brota neste caos intrínseco. Estes conceitos, especialmente o conceito de incerteza, entram em conflito com o senso comum ou com a tradição (paradigma) do pensamento cartesiano. Pensamento este que procura analisar as partes do mundo e encontrar nele a certeza, as ideias claras e distintas, a determinação, o verdadeiro e não o provável, a continuidade temporal, a previsibilidade e a proporção entre as causas e efeitos, uma vez que separa o tempo continuo verdadeiro da res cogita (espírito) e o tempo fragmentado ilusório da res extensa (matéria). O trabalho se iniciará com a observação empírica e a interpretação das tempestades.

Palavras-chave: Complexidade. Incerteza. Espaço. Tempo. Caos.

ABSTRACT

Reality is intrinsically uncertain therefore, the Cartesian truth is uncertain as well. Thus, for existence, thought and evolution freedom, thought itself must be taken beyond clear and distinct ideas. It must be complexified and chaotic and then return to simplicity and order but with no plenitude. The following paper, using simple and complex elements, aims to understand some aspects of chaos concept and connect it to complexity. A flower is simple and ordered, but also it is complex and chaotic. Chaos seems to be the ingredient that goes along with order make a reality organic unity. Chaos and order do not exist separately. Chaos is related to new complexity, uncertainty, chance, interaction, system, feedback, indetermination, probability, time discontinuity, irreversibility, unpredictability, disproportionality and fractal concepts. All those concepts are related to the reality intrinsic chaotic uncertainty as well as to the order or organization from such intrinsic chaos. Such concepts, especially the uncertainty one, are not compatible with the common knowledge or with the Cartesian thought tradition (paradigm). Such thought analyzes parts of the world and tries to find certainty, clear and distinct ideas, the determination, truth and not probability, time continuity, predictability and the proportion between cause and effect, since there is a separation between real continuous time of the res cogita (spirit) and the illusive fragmented time from the res extensa (matter). The paper starts with an empiric observation and an interpretation of tempests.

Keywords: Complexity. Uncertainty. Space. Time. Chaos.

Texto completo:

PDF

Referências


CONTATO. Direção: Robert Zemeckis. Produção: Robert Zemeckis. EUA: Warner Bros Pictures, 1997, 1 DVD.

GLEICK, James. Caos: a criação de uma nova ciência. Tradução: Waltensir Dutra. Rio de Janeiro: Campus, 1989.

HAWKING, Stephen. O Grande Projeto (em co-autoria com Leonard Mlodinow). Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2011.

MORIN, Edgar. O Método 1: a natureza da natureza. Tradução: Ilana Heineberg. Porto Alegre: Sulina, 2016.

MORIN, Edgar. O Método II: a vida da vida. Tradução: Marina Lobo, Simone Ceré e Tánia do Valle Tschiedel. Porto Alegre: Sulina, 2015.

MORIN, Edgar. O Método III: o conhecimento do conhecimento. Tradução: Juremir Machado da Silva. Porto Alegre: Sulina, 2015.

MORIN, Edgar. O Método 4: as ideias: habitat, vida, costumes, organização. Tradução: Juremir Machado da Silva. Porto Alegre: Sulina, 2011.

MORIN, Edgar. O Método 5: a humanidade da humanidade. Tradução: Juremir Machado da Silva. Porto Alegre: Sulina, 2012.

MORIN, Edgar. O Método 6: ética. Tradução: Juremir Machado da Silva. Porto Alegre: Sulina, 2011.

MORIN, Edgar. Introdução ao Pensamento Complexo. Tradução: Eliane Lisboa. Porto Alegre: Sulina, 2015.

PRIGOGINE, Ilya. O Fim das Certezas: tempo, caos e as leis da natureza. Tradução: Roberto Leal Ferreira. São Paulo: Editora Unesp, 2011.

PRIGOGINE, Ilya. As leis do caos. Tradução: Roberto Leal Ferreira. São Paulo: Editora Unesp, 2002.

PRIGOGINE, Ilya. O nascimento do tempo. Tradução: Marcelina Amaral. Lisboa, Portugal: Edições 70, 2008.

SAGAN, Karl. Contato. Tradução: Donaldson M. Garschagen. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

SMITH, Wolfgang. O Enigma Quântico: Desvendando a Chave Oculta. Tradução: Raphael de Paola. Campinas, SP: Vide Editorial, 2011.




Direitos autorais 2019 Caderno Intersaberes